Da Redação com SMCS

Em operação há pouco mais de uma semana, a estação-tubo Bento Viana vem sendo alvo de vandalismo. O elevador, que foi entregue funcionando, exigiu três reparos em apenas uma semana. Nesta quarta-feira (04), as grades de proteção dos usuários, que direcionam os pedestres para a travessia segura da Avenida, amanheceram arrebentadas. As equipes de manutenção já foram mobilizadas e a previsão é que o serviço possa ser feito até o final do dia.

vandalismo(Foto: Divulgação)

A mobilização das equipes para consertos de equipamentos danificados por vandalismo acaba provocando atrasos em obras de melhorias e vistorias programadas nas estações-tubo, que fazem parte da rotina de serviços feitos pela Urbs.

A área de manutenção de estações conta com 12 equipes que diariamente saem às ruas, priorizando o atendimento dos chamados, como no caso da Bento Viana, e fazendo a manutenção preventiva, o que significa verificar peças, sistemas elétrico e hidráulico, plataforma, mesmo que tudo esteja funcionando. Das 12 equipes, duas cuidam apenas dos elevadores e outras dez se dedicam à manutenção dos demais itens das estações.

Problemas que ocorrem nos equipamentos são detectados pelos fiscais ou comunicados à Urbs diretamente pelos próprios cobradores ou pelos usuários, através do telefone 156. Com a revisão permanente, raramente ocorrem problemas provocados por desgaste de peças e, mesmo quando se trata de vandalismo, o conserto pode ser feito em questão de horas. Esse quadro muda quando é necessário trocar peças que precisem ser encomendadas, o que pode demorar alguns dias.

No caso dos elevadores das estações, nem sempre o problema é resultado de desgaste ou vandalismo, mas do manuseio incorreto. Por força de legislação, a trava de segurança, que antes ficava ao alcance apenas do cobrador, agora fica acessível também ao usuário. Basta que alguém inadvertidamente acione a trava para que o elevador pare de funcionar. Neste caso, as equipes apenas destravam o botão de acionamento, o que é feito de imediato.