Da Redação

Próximo de completar cinco meses de operação em Curitiba, a regulamentação do Uber parece ainda distante, mas os táxis já buscam alternativas para atrair novos clientes. A partir de sexta-feira (12), por exemplo, os taxistas da 99 podem oferecer um desconto de 20% aos passageiros que utilizam o aplicativo na capital paranaense.

Screenshot_2016-08-11-14-32-19

Reprodução

De acordo com a empresa, para o passageiro basta escolher a modalidade “20% OFF” – botão ao lado da modalidade “99 Taxi Comum” – para obter o benefício.

O motorista faz o mesmo do outro lado, aderindo à modalidade por meio do botão “Ativar Desconto”. O taxista pode acionar e desativar o modo “20% OFF” conforme a sua avaliação da demanda por corridas.

“Desde o dia 12 de julho, mais de 5 mil parceiros da 99 em São Paulo e no Rio de Janeiro aderiram ao ‘20% OFF’ e nesse período foram registrados 250 mill deslocamentos com tarifa reduzida”, conta o Diretor de Operações da 99, Pedro Somma.

O executivo acredita que nos próximos dias a maioria dos taxistas parceiros da 99 em Curitiba vão aderir ao recurso, que atende milhares de pedidos de taxistas que manifestaram à 99 o desejo de oferecer desconto em horário de baixa procura, tornando-se mais competitivos e aumentando o número de corridas.

Outras opções

Com o objetivo de atrair e fidelizar um maior número de clientes, as rádios táxi de Curitiba também tem buscado promoções e descontos a quem opta pelos veículos laranjas. A Capital, por exemplo, tem oferecido 20% de desconto a todas as corridas solicitadas pelo smartphone. Já a Faixa Vermelha irá distribuir ingressos de cinema para clientes que utilizarem o celular para solicitar corridas no fim de semana. “Os tempos mudaram, novos mercados e novas tecnologias sempre irá surgir. Quem não se adaptar será excluído”, afirma o diretor presidente da Rádio Táxi Capital, Lourival Biseski.

Na Câmara, corre o trâmite de um projeto que poderia regulamentar o Uber. De acordo com a proposta, o objetivo é regulamentar o transporte privado e individual de passageiros, garantindo que empresas possam operar na cidade, mas seguindo uma série de regras e taxas a serem pagas para a prefeitura, em isonomia com os valores cobrados aos taxistas. Segundo o texto, a norma tem objetivo de incentivar novas formas de transporte e facilitar os deslocamentos na cidade; assegurar a livre concorrência e a transparência no serviço de compartilhamento de veículos, de forma a garantir segurança aos usuários, em conformidade com a Política Nacional de Mobilidade Urbana.