Clínicas especializadas em exames médicos credenciadas pelo Sistema de Assistência à Saúde (SAS) não estão recebendo o repasse do Governo do Paraná. Um paciente indignado disse nesta quarta-feira (6) à Banda B, que a realização de exames está cancelada em clínicas credenciadas pelo SAS. O sistema beneficia todo o servidor efetivo, militares e pensionistas do Estado. Com ameaça de fechar as portas, a Clínica Ecodata – que tem 80% da demanda vinda pela SAS – admite que está há dois meses sem receber a verba da Saúde. O Governo confirmou o atraso e informou que o valor do repasse deve ser regularizado até o final desta semana.

Entre os locais afetados pela falta de repasse está o Hospital da Polícia Militar, em Curitiba, que também possui convênio com a Clínica Ecodata. Segundo a cardiologista e responsável pela clínica, doutora Rita Vianna Pinton, o atraso deixa os profissionais da saúde e os pacientes em situação crítica. “Não estamos conseguindo atender. Estamos há dois meses sem receber nada. Não temos dinheiro para pagar funcionários. Os médicos estão recusando atendimento porque estão sem trabalhar. É muito difícil para gente negar isto. Logicamente que pacientes em situações de emergência, ou que estejam com cirurgias marcadas, estamos atendendo, mas é complicado”, descreve a doutora responsável.

Outra vez

Ainda, segundo a responsável pela Ecodata, esta não é a primeira vez que o repasse não é feito. Em 2009, garante ela, a verba também demorou para chegar. “O SAS já fechou muita clínica. Lembro que trabalhava na Santa Casa e isto aconteceu também. Viemos nos reestruturando e fazendo empréstimos para manter as portas abertas”, reclama.

Governo

O comandante-geral da Polícia Militar (PM), o coronel Bondaruk confirmou à Banda B na manhã desta quarta-feira (6), durante cerimônia de entrega de viaturas da PM, que o repasse está atrasado. “O recurso estava mesmo atrasado tendo em vista que o orçamento do Governo foi aberto no dia 18 de fevereiro. A partir de então as despesas podem ser saldadas. Acredito que até o fim da semana ou início da outra as empresas já terão recebido o repasse e a situação seja totalmente normalizada”, finaliza.