Por Felipe Ribeiro e Geovane Barreiro

agressao2

Jovem diz que foi brutalmente agredido (Foto: Arquivo Pessoal)

Um jovem de 26 anos diz ter sido agredido por funcionários e gerentes de uma lanchonete fast food no bairro Xaxim, em Curitiba. A mãe do rapaz conta que foi com ele até uma famosa rede de fast food para comer um beirute e tomar uma água, mas acabou o dia no hospital. Segundo a denúncia, o jovem teve vários ferimentos porque reclamou do líquido, que estaria com o gosto estranho. Inconformado com a queixa, o gerente da loja, localizada na Rua Francisco Derosso, teria iniciado uma série de ironias, que teriam resultado no linchamento do rapaz por pelo menos cinco homens. Na tentativa de defender o filho, a mãe de 56 anos alega que também acabou ferida na ocorrência e o caso foi parar na delegacia.

ferimento

(Foto: Arquivo pessoal)

Em entrevista à Banda B, a mãe do rapaz contou que também sentiu que algo estava errado com a água, mas mesmo após desistir do pedido, o gerente fez questão de tomar tudo e “provar” que estava certo. “Eu disse que pagaria pela água e tudo mais, mas após o garçom já ter nos pedido desculpas, esse gerente retornou para tirar satisfação e encarar o meu filho. Como a atitude dele era extremamente agressiva, meu filho reagiu e lhe acertou um soco. Aí a confusão cresceu e várias outras pessoas começaram a bater no meu filho”, relatou.

A vítima é portadora de um câncer que está hospedado próximo ao sistema nervoso, o que pode ter causado uma reação nele diante da intimidação do gerente.

Ainda segundo a mãe, não deu tempo nem dela e do filho se alimentarem, já que após a ordem de fechamento da porta, o rapaz tentou fugir pela janela com medo das agressões do gerente e funcionários. “Meu filho tinha acabado de sair da sessão de quimioterapia e esse gerente começou a o enforcar no meio da rua, foi terrível. Isso além do constrangimento de que as outras pessoas pensaram que poderia ser um ladrão e queriam se juntar nas agressões. Foram várias as convulsões após isso”, concluiu.

Atendendo a chamada, a Polícia Militar levou os envolvidos inicialmente para o quartel do 13° Batalhão e, em seguida, para a delegacia. Devido a sua situação pós agressões, a vítima foi socorrida com urgência pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A primeira audiência na Justiça sobre o caso está marcada para o dia 10 de novembro.

A Banda B entrou em contato com a assessoria de imprensa da rede que enviou a seguinte nota sobre o caso:

Sobre o ocorrido na loja no bairro Xaxim, a rede informa que está apurando os fatos com os funcionários da loja e com os clientes envolvidos para tomar as providências cabíveis.

A rede reforça seu compromisso com a segurança nas lojas da rede, item prioritário no treinamento de seus colaboradores, e repudia todo tipo de violência física ou moral realizada por qualquer pessoa, seja funcionário ou cliente, e por qualquer que seja o motivo.