Por Caio Porthus

Na noite desta terça-feira (02), o Paraná sofreu para enfrentar o Sampaio Corrêa, na Vila Capanema. Além de um adversário fechado que deu poucas oportunidades ao Tricolor, o gramado estava encharcado, especialmente no primeiro tempo, o que não permitiu as equipes a desenvolverem seu futebol. O jogo terminou sem gols, e não permitiu nenhuma das duas equipes a melhorarem suas classificações na Série B. O Tricolor segue sendo o 12º, enquanto seu rival da noite continua em .

Após perder seu aproveitamento de 100% na Vila Capanema após a Copa do Mundo, na próxima rodada, o Paraná vai até Joinville enfrentar o JEC, que se tornou líder da competição ao vencer a Portuguesa, fora de casa. Já o Sampaio Corrêa, vai ter que esperar decisões judiciais, já que se for confirmada a exclusão do Icasa da Segundona, o clube ganhará um descanso.

Paraná não mostrou bom futebol de rodadas anteriores e ficou no zero com o Sampaio Corrêa (Foto: Divulgação/Paraná)

Paraná não mostrou bom futebol de rodadas anteriores e ficou no zero com o Sampaio Corrêa (Foto: Divulgação/Paraná)

Pouco movimentado, equipes não criam e vão para os vestiários empatadas

A chuva foi forte no final da tarde em Curitiba. Com um gramado muito molhado, Paraná e Sampaio Corrêa sentiam dificuldades de trocar passes, a bola parava antes de chegar aos pés dos alvos e o jogo começou devagar, sem chances para as equipes abrirem o placar. O Tricolor, apenas uma vez em vinte minutos, fez Rodrigo Ramos, goleiro do Sampaio, trabalhar. Lúcio Flávio cobrou falta venenosa, a bola pegou uma curva inesperada e quase pegou o goleiro de surpresa.

Com o decorrer da partida, o jogo, ao contrário do esperado, não melhorou. Os jogadores não conseguiam se adaptar ao gramado molhado, e continuaram com dificuldades de sair jogando. A partida ficou na base de jogadas pelas laterais, que terminavam em cruzamentos sem sucesso. O Paraná era ligeiramente superior, e dominava a posse de bola e as ações ofensivas. A única grande chance do jogo veio com Giancarlo. O atacante, que está há mais de três meses sem marcar, recebeu cruzamento na medida de Chiquinho, um dos destaques da partida, mas sem conseguir finalizar como desejava, o camisa 9 chutou para cima e desperdiçou grande oportunidade.

Mesmo sem chuva, partida não melhora e termina sem gols

O Tricolor, que foi superior durante o primeiro tempo, começou a segunda etapa sem o mesmo futebol. A chuva já era praticamente inexistente, e as equipes conseguiam trocar melhores passes. Logo no início da segunda etapa, o treinador Lisca, do Sampaio Corrêa, foi expulso por reclamar demais. Durante quase 20 minutos, o Paraná não conseguiu criar e o jogo estava completamente equilibrado.

Aos 18 minutos, após a entrada de Adaílton, o mandante criou duas boas chances. Uma com Tiago Alves, que chutou da entrada da área, e outra com o próprio Adaílton, que carregou a bola da ponta para o meio e arriscou de longe. Rodrigo fez duas boas defesas e impediu o placar de sair do zero.

Os dois lances criados pelo Paraná se mostraram apenas picos de bons momentos, e o time pouco conseguiu criar. O Sampaio Corrêa fazia cera, e estava feliz com o empate. Fechado, a equipe visitante saía em contra-ataque e chegou a incomodar duas vezes o goleiro Marcos. Uilliam Corrêa, que era o homem mais perigoso dos maranhenses, foi o responsável por crias as duas oportunidades, que em nada resultaram. Nos minutos finais, nenhuma das equipes fez uma pressão significativa e o jogo se encerrou com um sem graça 0 a 0 no placar.

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 0 X 0 SAMPAIO CORRÊA

Local: Estádio Durival Britto e Silva (Vila Capanema), em Curitiba (PR).
Data: 2 de setembro de 2014.
Horário: 19h30.

Público total: 3.337.
Renda: R$ 45.370.

Paraná: Marcos; Chiquinho, Gustavo, Anderson Rosa e Breno; Edson Sitta, Marcos Serrato, Lúcio Flávio (Thiago Humberto) e Henrique Santos (Adaílton); Tiago Alves e Giancarlo (Arthur).
Técnico: Claudinei Oliveira.

Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Edmar, Mimica, Luis Otávio e Willian Simões; Jonas, Uillian Corrêa, Eloir e Hiltinho; Waldir (Cascata) e William Paulista (Marino).
Técnico: Lisca.

Cartões amarelos: Henrique Santos e Marcos Serrato (PRC). Jonas, William Paulista, Edmar e William Simões (SCF).
Cartão vermelho: Lisca, treinador do Sampaio Corrêa.