Em uma decisão foi unânime, a Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu condenar a rede de supermercados Carrefour em R$ 15 mil por ter uma funcionária solteira ter sido chamada de “sapatona” por colegas. A decisão, divulgada nesta quinta-feira (11) se deu pela omissão da empresa em coibir a conduta. As instâncias inferiores haviam determinado o pagamento de R$ 50 mil, mas o TST concluiu que esse valor não atendeu à proporcionalidade da situação.

A trabalhadora ajuizou ação trabalhista com o intuito de receber indenização por danos morais, em função de perseguições sofridas por colegas que não foram reprimidas pelo Carrefour. Ela afirmou que, por ser solteira, uma tesoureira da empresa passou a chamá-la de “sapatona”, apelido que acabou sendo adotado por outros colegas ao se referirem a ela. Com o ambiente de trabalho cada vez mais hostil, adquiriu depressão e teve que ser afastada de suas atividades por um ano. Ao retornar ao trabalho, os ataques continuaram, mas a empresa nada fez para acabar com essa situação.