Por Marina Sequinel e Luiz Henrique de Oliveira

stive-dentro

Stive, com a investigadora Carla, e o famoso cão policial Rin Tin Tin, em série de 1959. (Fotos: Arquivo Pessoal e Reprodução)

Uma companhia muito especial ajuda os policiais da Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, a deixar tudo em ordem: o vira-lata Stive, adotado em maio de 2013 pelos trabalhadores do local.

Ele é o ‘Rin Tin Tin’ da cidade, já que lembra o cachorro policial americano que estrelou em vários filmes e séries desde a década de 1920. No cinema, o pastor alemão fazia sucesso ao ajudar as autoridades a solucionar os casos e a prender os criminosos. Aqui na Grande Curitiba, quem se destaca é o Stive que, mesmo sem treinamento especializado, sempre avisa os policiais se algo estranho está para acontecer.

Foi assim que ele já ajudou a evitar diversas fugas no local. “Ele começou a aparecer aqui com muita frequência. Com o tempo, nós percebemos que ele era um cão muito atento e inteligente. Aos poucos, o cachorro foi conquistando todo mundo e nós decidimos, então, adotá-lo”, explicou a investigadora Carla Bittencourt em entrevista à Banda B nesta sexta-feira (5). É ela quem cuida do Stive na delegacia.

Ele come o que sobra da marmita dos policiais e fica o dia inteiro andando pela cidade. À tarde, volta para dormir. Cheio de mimos, Stive ganhou até um uniforme com um distintivo da Polícia Civil. “Um dia, um advogado apareceu aqui e queria levá-lo, mas o pessoal se revoltou e ele acabou ficando. Agora, o homem vem, leva o cachorro para tomar banho e depois nos devolve”, contou Carla. Ela tem outros três cães em casa, também levados da delegacia.

A origem do nome de Stive, diferente como o de ‘Rin Tin Tin’, vem de um jargão policial. “Quando a gente quer chamar um colega, falamos ‘e aí, Stive’, como se fosse ‘e aí, fulano’. Foi assim que decidimos nomear o bichinho. Ele veio para ficar”, concluiu.