Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

Cansada de assaltos na estação-tubo Osternack, que fica localizada no bairro Ganchinho, em Curitiba, a empresa de ônibus São José já estuda contratar uma empresa de segurança particular para atuar no local. De acordo com relatos do sindicato e da empresa, foram 15 assaltos nos últimos 45 dias no local, o que preocupa a todos na região.

osternack

Foto: Divulgação

Localizada no cruzamento das ruas Eduardo Pinto da Rocha e Tijucas do Sul, os cobradores reclamam do fato de uma Unidade Paraná Seguro estar localizada a menos de 500 metros do local e do fato dos assaltantes agirem sempre sozinhos. “Eles sempre chegam armados, ameaçam os cobradores e nada é feito”, afirma.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus (Sindimoc), trabalhar ali é um perigo diário e várias tentativas de sensibilizar o poder público já foram tomadas. “Lamentavelmente a sensação de insegurança é muito grande, nos espanta a UPS ficar tão perto e a situação continuar ocorrendo. Tivemos reuniões no início do mês, mas os casos continuam”, disse.

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba, que informou que a responsabilidade de garantir a segurança pública é do Governo do Estado. A Polícia Militar, por sua vez, disse que sempre que alguém é flagrado, é preso em flagrante e levado para a delegacia. Sobre casos anteriores, a responsabilidade passa a ser da Polícia Civil já que deve ser investigada. A PM frisa que é importante que as vítimas registrem boletins de ocorrência, para que a área apareça nos registros de maior incidência de crimes.