Com o trabalho de vacinação reforçado em 43 postos móveis no último final de semana, 303.797 curitibanos foram vacinados contra a gripe na cidade desde o início da campanha até este domingo (28). Com este esforço, Curitiba conseguiu atingir a meta de vacinar 80% da população prioritária – mulheres que foram mães há menos de 45 dias, pessoas com mais de 60 anos, profissionais de saúde, indígenas e pessoas privadas de liberdade. Dois grupos ainda não chegaram aos 80%, que são as gestantes (com cobertura atual de 70,98%) e crianças menores de 2 anos (73,2%).

O Ministério da Saúde enviou 460 mil doses para Curitiba e o objetivo é vacinar pelo menos 380 mil pessoas até o final da campanha, prorrogada até o dia 10 de maio. Além do grupo prioritário, também estão sendo vacinadas pessoas com doenças crônicas (grupo para o qual não é possível estabelecer metas).

Durante todo o final de semana, a Secretaria Municipal de Saúde montou postos móveis de vacinação em locais de grande circulação, como terminais de ônibus, parques, supermercados, lojas comerciais, restaurantes, entre outros, para garantir a imunização à população. “A maioria das pessoas não tem tempo de ir até às unidades de saúde durante a semana para tomar a vacina. Por isso reforçamos este trabalho no sábado e no domingo, para facilitar o acesso aos grupos prioritários”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Adriano Massuda.

Como a campanha de vacinação foi prorrogada, Massuda acredita que mesmo os grupos que ainda não atingiram a meta irão passar de 80%, mínimo estabelecido pelo Ministério da Saúde. Entre os idosos, a cobertura chegou a 86,61% e entre as mães de recém-nascidos a 103,82% – o que significa que mulheres de outros municípios tomaram a vacina em Curitiba.

“Mesmo as grávidas, que tinham receio por medo de afetar o bebê, estão procurando a imunização. É um trabalho diário de conscientização e o papel dos médicos é fundamental nessa hora, ao mostrar que a vacina é mais uma segurança, tanto para a mãe, quanto para a criança”, comenta o secretário.

Até o dia 10 de maio a vacina estará disponível nas 109 unidades de saúde de Curitiba. “A gripe é um problema muito comum em Curitiba, principalmente durante o inverno, e o momento de se prevenir é agora. Os grupos prioritários foram estabelecidos pelo Ministério da Saúde, de acordo com o grau de resistência e à rapidez do organismo em reagir ao vírus, por isso a resposta da população é muito importante”, salienta o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria, Moacir Pires Ramos.