Por Denise Mello e Antonio Nascimento

quadrilha5

Quadrilha vendia cocaína para caminhoneiros na região de Curitiba – Foto: AN/Banda B

A quadrilha de tráfico de drogas presa em operação deflagrada por policiais da Denarc (Divisão Estadual de Narcóticos) da Polícia Civil do Paraná usava um telefone com plantão 24 horas para atender caminhoneiros de todo o país interessados em comprar cocaína e outras drogas na região de Curitiba. A informação foi repassada nesta quarta-feira (24) pela Polícia Civil após o cumprimento de 22 mandados judiciais – sendo 10 de prisão e outros 12 de busca e apreensão. Os dez presos foram apresentados à imprensa nesta manhã, entre eles uma universitária 20 anos, namorada do traficante Oneias Krupnitski, de 30 anos, que já está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Piraquara, condenado por dois homicídios e tráfico de drogas. Segundo a polícia, a jovem agia nas ruas sob as ordens do namorado preso, que seria o líder da quadrilha.

“Estamos investigando esta quadrilha há cinco meses após recebermos denúncias de que caminhoneiros de todo o país passavam por Curitiba para comprar drogas do grupo do traficante conhecido como Neinha, que está preso. Eles compravam cocaína nas margens das rodovias ou em postos de combustíveis e seguiam viagem. Prendemos uma universitária no grupo que é casada com o Neinha. Ela recebia o dinheiro e repassava a droga para os integrantes da quadrilha, que embalavam e entregavam a droga”, disse a delegada do DENARC, Camila Ceconelo.

Segundo a polícia, o grupo tinha um telefone de plantão 24 horas que recebia cerca de 15 ligações por dia. “Eles chegavam a vender cerca de R$ 10 mil por dia em cocaína”, afirmou a delegada.

A quadrilha já havia adquirido uma casa de prostituição em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, para a lavagem do dinheiro. A casa já foi fechada pela polícia.

drogas5

Drogas, armas e dinheiro foram apreendidos

80 caminhoneiros

A delegada informou que já entrou com uma representação junto à Justiça para a cassação da Carteira nacional de Habilitação – CNH – de motoristas já identificados como usuários de drogas fornecidas pela quadrilha. “Temos uma lista de pelo menos 80 clientes e, aqueles que já conseguimos identificar, já pedimos a cassação da CNH”, completou a delegada.

Operação Têmis

A operação batizada de Têmis acontece em Curitiba e Região Metropolitana e conta com cerca de 50 policiais da Denarc e guardas municipais de São José dos Pinhais e com o apoio do GOA (Grupamento de Operações Aéreas) da Polícia Civil.

A “Operação Têmis” tem como objetivo prender uma quadrilha suspeita de fornecer cocaína para motoristas de ônibus que circulam pelas estradas do país – colocando em risco milhares de pessoas.

Parte do dinheiro arrecadado com a venda de droga era usada para custear as obras de construção da casa de Neinha e a esposa presa, que fica na região metropolitana. Os dois estão entre os alvos desta operação que já apreendeu sete armas, dois quilos de cocaína e cerca de R$ 100 mil.

Segundo a polícia, a quadrilha chegava a vender de 70 a 100 buchas de cocaína por dia para os caminhoneiros – arrecadando até R$ 10 mil por dia. As pessoas presas responderão pelos crimes de tráfico de drogas, organização criminosa, lavagem de dinheiro e associação para o tráfico – além de outros crimes.