Da SMCS

caesdentro1

Animais foram recolhidos pela prefeitura (Foto: Divulgação SMCS)

Uma denúncia de maus tratos contra animais registrada pelo telefone 156 da Prefeitura de Curitiba levou a Rede de Proteção Animal da Secretaria Municipal de Meio Ambiente até um canil irregular, na tarde desta segunda-feira (23), no bairro Boa Vista. No local estavam 119 cães de onze raças, dos quais 58 filhotes, encontrados em situação precária de alojamento e sem acompanhamento de um responsável técnico.

Cadelas prenhas e uma que, ainda manchada com sangue devido ao nascimento recente de seus três filhotes, ajudaram a configurar a prática do delito, segundo informou o diretor do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, da Secretaria de Meio Ambiente, Alexander Biondo.

caesdentro3

(Foto: Divulgação SMCS)

“Este lugar é ilegal porque a criação comercial de animais em Curitiba é proibido pela lei 13914/11″, afirma Biondo. Ainda foram encontrados animais com tumor nos olhos, desnutridos, em local sem condições de higiene e sem acompanhamento de um médico veterinário.

Segundo o diretor, a comercialização dos animais fica caracterizado com a presença de matrizes, que são animais usados unicamente para gerar filhotes para a venda. No local foram encontrados filhotes de diversas raças, como Lhasa Apso, Shitzu, Yorkshire, Pug, Beagle entre outros, além de rotweillers adultos.

A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente acompanhou a ação e o proprietário do estabelecimento foi levado à Delegacia para a lavratura de um termo circunstanciado pela prática de abuso e maus tratos aos animais. Além disso, a Rede de Proteção Animal lavrou duas multas no valor de R$ 100 mil cada por maus tratos e também pelo comércio ilegal de cães. O destino dos cães não havia sido definido até o início da noite de segunda.

O local também foi vistoriado pela fiscalização da Secretaria Municipal de Urbanismo, que constatou o desvirtuamento do ramo de atividade previamente liberado. O estabelecimento tem alvará para funcionar como petshop.

Participaram da fiscalização a Rede de Proteção Ambiental, Guarda Municipal de Curitiba e Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.