Da Redação com Polícia Civil

CADEIRANTE

Foto: Divulgação Policia Civil

Joilso de Lima Damásio, 19, conhecido como “”Jobinha””, foi preso no início da tarde desta segunda-feira no Jardim Itália, em Cascavel. O rapaz estava escondido em uma residência e sua prisão foi realizada em uma ação conjunta envolvendo investigadores da Delegacia de Homicídios e policiais do Serviço Reservado da PM de Cascavel.

“Jobinha” é acusado de encomendar a morte de Bruno Fernando Nonato, 19, ocorrida no dia 9 de julho. Na ocasião, Bruno conduzia um veículo Vectra GT e foi surpreendido por dois rapazes em uma motocicleta. No total, 17 tiros de pistola foram disparados. Bruno morreu na hora. O passageiro Willian Felipe Brasil foi atingido por cinco tiros e ainda se recupera das lesões.

Após toda a investigação, o Poder Judiciário decretou a prisão preventiva de Marcelo Augusto Pontes, 19, conhecido como “Pó”, Gilmar Paliana, 18, o “Dudu”, e Joilso de Lima Damásio. Gilmar foi preso no dia 8 de agosto. Agora foi cumprido o mandado contra Joilso. Marcelo Pontes permanece foragido.

A investigação apontou que “Jobinha” encomendou o crime. Marcelo efetuou os disparos e Gilmar conduziu a motocicleta usada no assassinato. A motivação ainda é investigada.

O delegado Pedro Fernandes de Oliveira, titular da Delegacia de Homicídios de Cascavel, enfatizou que a prisão de “Jobinha” é uma das mais importantes já realizadas em 2013. “O rapaz é cadeirante, mas apesar de sua condição física, é investigado por uma série de crimes, entre eles homicídios sob encomenda, tráfico de drogas, roubos e furtos” explica.

“Jobinha” integrava uma quadrilha de arrombadores de cofres e caixas eletrônicos e, durante uma troca de tiros, foi atingido por um disparo efetuado por um próprio comparsa. Ele sobreviveu, mas ficou paraplégico. Desde então, ele passou a ser o mentor de várias ações criminosas.