Por Felipe Ribeiro

Foto: Colaboração Lucca Martins

Foto: Colaboração 

Para quem imaginava uma redução no número de jogadores de Pokémon Go após o tão aguardado lançamento, o que é possível  perceber neste segundo dia em Curitiba ainda é um número muito grande de pessoas de olho no smartphone. Nesta sexta-feira (5), por exemplo, muitos adolescentes pediram para esconder o rosto e confessaram que estavam gazeando aula.

De acordo com um dos “treinadores Pokémon”, que obviamente pediu para não ser identificado, os níveis estão muito altos no jogo, o que obriga muitos jogadores a correrem atrás. “A região dos bairros Batel e Bigorrilho possuem muitos pokémons e itens, então é uma região que vale a pena vir aqui buscar, mas que meus pais não descubram que eu estou aqui”, contou um dos frequentadores desta tarde da Praça da Espanha.

Lançado no fim da tarde de quarta-feira (5), o Pokémon Go é um jogo que se utiliza da chamada realidade aumentada e de mapas reais para simular um mundo com os bichinhos virtuais. Em ônibus e parques, se tornou comum um grande número de pessoas caminhando e de olho no aparelho celular.

Usuário do transporte coletivo de Curitiba, outro jogador que estava na Praça da Espanha contou que os biarticulados são excelentes pontos para a captura de pokémons. “Como o ônibus percorre muitos bairros, você consegue encontrar uma variedade grande a cada ponto de parada”, explicou com certo sorriso no rosto.

A Banda B desta vez decidiu colaborar e esconder o rosto dos envolvidos, mas da próxima vez…

Notícias Relacionadas:

http://www.bandab.com.br/jornalismo/casal-de-irmaos-aproveita-febre-virtual-e-cria-poketour-por-parques-de-curitiba/

http://www.bandab.com.br/jornalismo/area-de-hospital-vira-ginasio-em-pokemon-go-e-diretoria-pede-colaboracao-de-usuarios/

http://www.bandab.com.br/jornalismo/disponivel-ha-poucas-horas-pokemon-go-faz-jovens-curitibanos-sairem-caca-de-bichos-virtuais/