Nos primeiros 21 dias da Operação Verão 2012/2013, os bombeiros militares fizeram 389 salvamentos no Litoral do Paraná, além de 21.301 advertências aos banhistas. Outras 8.780 pulseirinhas de identificação foram distribuídas aos pais que estão com crianças nas praias. O balanço se refere ao período de 20 de dezembro a 10 de janeiro.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros no Paraná, coronel Luiz Henrique Pombo do Nascimento, o índice de advertências é resultado da intensificação do trabalho de prevenção, que se refere a orientações, como alertar sobre locais impróprios para banho ou que possam colocar em risco a vida do banhista. “Nos locais em que não há guarda-vidas, é importante prestar atenção nas placas e bandeiras, não entrando nos locais sinalizados com as bandeiras pretas”, orienta.

Em relação ao número de prisões, as polícias Militar e Civil prenderam, durante este período, 528 pessoas. Ao todo, quase 7,8 mil pessoas foram abordadas nas ações de rotina dos policiais militares. No trânsito houve 5.474 autuações por excesso de velocidade, com o registro de 88 acidentes, 48 feridos e dois mortos.

Na avaliação do comandante-geral em exercício da Polícia Militar, coronel Cesar Alberto Souza, a corporação está fazendo uma das melhores Operação Verão de todos os tempos, mesmo com aumento de 30% no fluxo de pessoas. “A integração com as demais polícias, com o Pode Judiciário e com o Ministério Público tem feito com que o complexo sistema de segurança pública funcione bem, principalmente na proteção aos moradores e veranistas”, avalia.

No balanço parcial das polícias durante a Operação Verão também foram apreendidas 40 armas e 140 munições, além de mais de 7,3 quilos de maconha, quase 300 gramas de cocaína e 220 pedras de crack. Dados da Polícia Militar também mostram 432 autuações de perturbação do sossego nas praias.

Outros – Registros da Polícia Civil apontam para 434 ocorrências de crimes contra a pessoa, que englobam lesão corporal (que corresponde à maior parte dos índices), homicídios e tentativas de homicídio. Entre os crimes contra o patrimônio (furtos e roubos), a polícia registrou 586 ocorrências.

“A Polícia Civil está estruturada no litoral para dar andamento a investigações, permitindo a elucidação de crimes, atuando em eventos de grande porte, no combate ao porte ilegal de arma e o consumo excessivo de álcool, entre outros delitos”, afirma o coordenador da Polícia Civil da Operação Verão, delegado Luiz Carlos de Oliveira.