O transporte coletivo de Curitiba não terá mais o subsídio do Governo do Paraná. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (5) pelo governador Beto Richa, onde garantiu que o valor repassado à Prefeitura será mantido até maio, período de vigência do convênio efetuado com o ex-prefeito da cidade Luciano Ducci. O governador disse que o subsídio era apenas uma medida emergencial e que não se poderia torna-se permanente.

Hoje, a passagem custa R$ 2,60 aos usuários, no entanto o valor técnico (custo real) é de R$ 3,05. Esta diferença de R$ 0,45 é que é pago pelo Governo e caracteriza-se como subsídio. Em janeiro deste ano, Richa confirmou o repasse de R$ 23,8 milhões até o mês de maio e deixou claro que depois discutiria novos acordos.

Está definido que haverá reajuste na passagem, mas o valor não foi definido. Com o fim do subsídio e o aumento da tarifa técnica é provável que o rombo nos orçamento do transporte público ultrapasse os atuais R$ 60 milhões.

A Prefeitura não se manifestou sobre o fim do subsídio, mas informou que até o final desta semana deve informar o novo custo da passagem aos usuário do transporte coletivo.