Por Felipe Ribeiro

Foto: Reprodução Google Street View

A Páscoa é um dos dias mais esperados do ano para as crianças. Receber um chocolate é especial para elas, mas uma ação de criminosos contra a Escola Municipal Professor Ricardo Krieger colocou em dúvida uma arrecadação feita por pais e professores por quase um mês. Um furto contra a instituição, localizada no bairro Boa Vista, em Curitiba, aconteceu no último domingo (9) e mais de 800 kits que seriam distribuídos para os alunos foram levados pelos bandidos.

De acordo com a mãe de um dos estudantes da instituição, Priscilla Prueter, essa arrecadação é feita todos os anos. “Apesar de o bairro Boa Vista ter pessoas com uma faixa de renda boa, muitas crianças ali não podem pagar por um chocolate e recebem algo apenas da escola”, lamentou.

O furto aconteceu na tarde do último domingo. Em conversa com os pais, a diretora aparentava não acreditar no que havia acontecido. Um monitor de computador foi levado e todos os extintores de incêndio foram gastos no pátio.

A diretora do Departamento de Logística da Secretaria da Educação, Maria Cristina Brandalize, explicou que os criminosos entraram na escola por uma janela pequena e pegaram os chocolates na biblioteca. “A gente tem uma empresa que faz monitoramento por alarme e temos apoio incansável da Guarda Municipal, mas é fundamental o alerta da comunidade caso perceba algo incomum dentro da instituição”, disse.

Campanha

Entre terça e quarta-feira, pais e professores se mobilizaram novamente para arrecadar doces e não deixar a Páscoa das crianças “passar em branco”. Priscilla contou que o Facebook foi essencial e que os pais já acreditam que tudo dará certo. A campanha segue até 17 horas desta quarta na escola. “É bem engraçado, hoje fui levar um tanto e a criançada já arregala o olho. É muito simples, mas eles já esperam porque é uma tradição da escola. Foi legal e muita gente ajudou”, comentou.

Invasões em escolas

Desde o início do ano letivo até 31 de março, a Secretaria da Educação registrou 285 atos de vandalismo, arrombamentos, furtos e invasões nas unidades escolares que resultaram em prejuízo financeiro. Em 2016, o total foi de 841 registros.

Segundo Maria Cristina, os registros contra escolas são semanais. “A gente entende que a escola não deveria sofrer esse tipo de situação, nem de vandalismo, nem de invasão. A escola é da comunidade e como espaço de formação humana e de desenvolvimento, a gente não gostaria desse tipo de situação nas instituições”, concluiu.

A população pode avisar a Guarda Municipal sempre que perceber situações como estas pelo telefone 153. As denúncias também podem ser feitas diretamente à empresa contratada (G5) pelo telefone 3045-7940. Todas as unidades educacionais estão cobertas pelo serviço de monitoramento de empresa de segurança contratada nas áreas internas que têm sensor. As equipes contratadas têm o apoio da Guarda Municipal sempre que alguma ocorrência é registrada.