Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

A Escola Estadual Barro Preto, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, foi arrombada e incendiada durante o fim de semana. Merendas, notebook e uma quantia em dinheiro foram levados pelos bandidos que conseguiram entrar na escola pelo forro. O alarme foi desativado pelos marginais e por isso não soou. Antes de fugir, eles atearam fogo em uma mesa e cadeira da sala do diretor.

A escola fica no bairro Barro Preto e como a escola fica fechada durante o fim de semana, não há como saber quais dos dias o arrombamento aconteceu. Na manhã de hoje (7), o diretor da escola, Lacides Freitas de Castro, levou um susto ao entrar na sala dele: uma mesa e uma cadeira estavam queimadas. Castro notou que as gavetas estavam abertas e, então, viu que o notebook tinha sido levado. Mais buscas e o diretor viu que um envelope contendo R$ 500 em notas também tinha sido levado. O dinheiro tinha sido arrecadado pela escola para levar alunos a eventos e passeios.

Na cozinha o estrago foi maior. Funcionários da escola descobriram que os bandidos entraram pelo telhado e despregaram ripas do forro para ter acesso à escola. Chocolates, pirulitos, barras de cereais e outros alimentos foram levados pelos bandidos.

A Polícia Militar (PM) foi acionada para registrar o boletim de ocorrência. A escola, que tem 370 alunos do ensino fundamental e médio, não foi fechada e vai funcionar normalmente durante os consertos. A polícia desconfia que a ação possa ter sido feita por alunos ou ex-alunos, por conhecer os locais dentro da escola. “Em sete anos na direção eu nunca vi isso. É lamentável”, disse o diretor.

Câmeras que ficam na parte externa da escola podem auxiliar a polícia a descobrir a identidade dos marginais.