Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo

carro-avo

Avô e criança estavam inconscientes durante resgate. Foto: DB/Banda B

Um grave acidente na noite desta terça-feira (15) no bairro Novo Mundo, em Curitiba, deixou um casal e uma criança de 2 anos feridos. A colisão aconteceu entre um carro Renault Loga e uma linha de ônibus Rondon. O motorista do carro, José Drohonereski, 60 anos, ficou gravemente ferido e foi encaminhado até o Hospital Cajuru. A criança também ficou ferida e foi levada ao Hospital Cajuru.

A colisão aconteceu por volta das 19 horas e, segundo informações de testemunhas, o motorista do carro vinha pela rua Laudelino Ferreira Lopes e teria cruzado a preferencial, mas não conseguiu e foi atingido pelo ônibus, que vinha pela rua João Bonat. O carro, do lado do motorista, ficou destruído devido ao impacto. O motorista do carro ficou gravemente ferido e corre risco de morte, conforme disse o cabo Azevedo. “A preocupação mais grave foi o senhor mesmo porque como a colisão foi do lado dele, o estado era mais crítico. Ele estava com várias lesões e também inconsciente”.

A esposa do motorista, que estava no banco do passageiro, Emília Drohonereski, 55 anos, teve ferimentos leves, já a neta, de apenas 2 anos, foi levada ao Hospital do Trabalhador em estado grave. Segundo o médico Mizael do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate), que atendeu a ocorrência, a criança foi encontrada no chão do carro. “Possivelmente essa criança não estava na cadeirinha no momento do acidente porque a gente a encontrou no chão. Pedimos apoio ao médico e ela respondeu rapidamente ao socorro”. O cruzamento ficou bloqueado durante o atendimento do socorro.

Portão

Uma mulher de 32 anos ficou ferida depois debater o veículo Ford Ka contra o muro de uma casa que fica no cruzamento da rua Doutor João Tobias Pinto Rebelo com a rua Orlando Padilha dos Santos, no bairro Portão. Daniele de Oliveira Maria contou aos socorristas do Siate que foi fechada por um ônibus, perdeu o controle do carro e bateu contra o muro. Chovia no momento do acidente e possivelmente algum produto foi derramado na pista o que deixou ela ainda mais escorregadia. “A pista estava escorregadia mesmo e parece que um ônibus a fechou na rua. Ainda bem que ela não tem lesões aparentes. Ficou a marca do cinto no peito da vítima”, disse o soldado Favero.