Por Felipe Ribeiro e Ricardo Vieira

Com ato de professores e funcionários de escolas marcado para as primeiras horas da manhã, alunos da rede estadual de ensino podem não ter aulas nesta terça-feira (30). A data, 30 de agosto, é marcada anualmente por atos da categoria e relembra a repressão policial realizada pelo governo do estado em 1988. A suspensão das aulas também tem como objetivo cobrar atrasos do atual governo com os funcionários.

atoprofessores

Divulgação APP-Sindicato

Em entrevista à Banda B, a secretária de Finanças da APP-Sindicato, Marlei Fernandes, disse que a categoria já está em estado de greve e irá cobrar várias reivindicações. “Há 28 anos lembramos deste violento ataque contra professores e funcionários. É um luto pelo passado e uma luta atual. Desde o início do ano estamos tentando negociar com o governo Beto Richa e nossos pedidos não tem surtido efeito. Agora recebemos um novo ataque e dizem que os atrasos não podem ser pagos, mas dos nossos direitos não abrimos mão”, disse.

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação informou que a orientação para os pais, é que liguem para as escolas e confirmem a suspensão das aulas. A questão da falta deverá ser discutida na reunião marcada para 11h, na Casa Civil, entre representantes do Governo do Estado e da APP-Sindicato.

De acordo com a definição da assembleia da categoria, realizada no dia 25 de junho, além dos atos regionais, será realizado ato em Curitiba. A concentração está marcada para iniciar às 08h30, na Praça Santos Andrade. A caminhada terá o percurso rumo ao Palácio Iguaçu, onde também será solicitada a retirada da falta relacionada ao 29 de abril.