Por Dionísio Filho

Atlético Paranaense e Coritiba não passaram do empate na última rodada pelo Brasileirão pela Série A. O time atleticano jogou contra o Grêmio de Porto alegre em Vila Capanema, fazendo 1×0 aos 31 minutos do segundo tempo. Não teve, no entanto, competência para segurar a vitória e o empate culminou com a queda do técnico Ricardo Drubscky, apesar do bom trabalho que fez no ano passado, retornando com o Furacão à Série-A. É importante observar ainda que ele sempre esteve com o cargo ameaçado.

Diante disso, fica a pergunta: valeu a pena a estratégia de não escalar o time principal no campeonato paranaense? Acredito que não. Ora, perdeu o título para o Coritiba que chegou ao tetra e, por mais que digam que o Campeonato Paranaense não vale nada, a derrota sempre traz consequência ruim, mesmo sabendo que o time atleticano atuou com jogadores considerados reservas sub-23. Quanto aos titulares, estes fizeram somente nove jogos oficias em um semestre. Estratégia que, até o momento, não deu resultado, pois o Rubro-Negro está na zona do rebaixamento, com apenas seis pontos – posição que está deixando os torcedores ressabiados.

Na outra mão, o Coritiba foi a Brasília, não se intimidou com os mais de cinquenta mil torcedores do Flamengo, bateu de frente com o time carioca, saindo de uma derrota parcial de 2×0, chegando ao empate com um gol do zagueiro Chico e outro do meia Alex, aliás, um golaço. Esse resultado que deixa a torcida coxa-branca empolgada para o Atletiba, no próximo domingo, no Couto Pereira.

Enfim, se sair vencedor, o time alviverde pode retornar à liderança. Para isso, o Grêmio de Porto Alegre precisa, pelo menos, empatar com o Botafogo. É isso.