Um ataque com uma bomba em um templo muçulmano sufista deixou pelo menos 70 mortos e centenas de feridos. O Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado, o segundo do tipo reivindicado pelo grupo extremista em três meses.

Um suicida detonou os explosivos que levava quando centenas de pessoas estavam no local, segundo autoridades. O Estado Islâmico disse ser responsável pela ação, de acordo com o SITE Intelligence Group, que monitora comunicações dos extremistas. Em novembro, outro ataque a um templo sufista deixou 52 mortos no Paquistão.

O ato desta quinta-feira “representa um ataque contar um futuro progressista e inclusivo no Paquistão”, afirmou em comunicado o premiê Nawaz Sharif. “Nós não podemos deixar esses eventos nos dividir ou nos assustar. Precisamos nos manter unidos nesta luta pela identidade paquistanesa e pela humanidade universal.”

O islamismo sufista é uma linhagem mais inclusiva e tolerante, seguida por milhões de muçulmanos no sul da Ásia. Grupos conservadores como o Estado Islâmico e o Taleban consideram os sufistas heréticos e por isso têm realizado ataques contra eles nos últimos anos.