Uma assembleia realizada na tarde desta quarta-feira (9) adiou o indicativo de greve dos funcionários do Hospital Evangélico que estava marcado para hoje. De acordo com a assessoria do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde e de Curitiba (Sindesc), a Prefeitura de Curitiba depositou ontem a primeira parcela do repasse ao hospital, num total de R$ 1,7 mi, que deve ser utilizada para o pagamento da primeira parcela do 13° dos funcionários, mais o vale-refeição.

A segunda parcela deve ser repassada até o próximo dia 29, data da nova assembleia, que pode optar pela greve. A prefeitura ainda deve pagar R$ 2 mi ao hospital até o final do mês. No começo da tarde, um diretor do hospital chegou a pedir o bom senso dos funcionários, já que se entrassem em greve, o pronto-socorro fecharia imediatamente.

A reivindicação dos funcionários é o pagamento do 13º salário e os vencimentos do mês de dezembro, que estariam atrasados. A Sociedade Evangélica Beneficente (SEB), que administra o hospital, alega que o atraso acontece por falta de repasses da prefeitura de Curitiba.

Greve

Por outro lado, os servidores do Centro Comunitário e do Centro de Especialidades, localizado no Bairro Novo, e que pertence a SEB, decidiu paralizar todas as atividades por tempo indeterminado até a regularização do 13°.