Alunos, pais, professores e funcionários do Colégio Estadual Professor Júlio Szymanski, em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, comemoram o início da revitalização da escola. A obra que começou nesta terça-feira (23) era aguardada há mais de 15 anos pela comunidade.

A Secretaria de Estado da Educação entregou o contrato de serviço à direção da unidade e à comunidade escolar, que vão acompanhar os trabalhos. “A espera foi tão longa que fica difícil acreditar que a obra está acontecendo. Para nossa comunidade é um ganho muito grande e também uma expectativa enorme”, comemora o diretor do colégio, Sérgio Ricardo Hey.

O investimento do governo estadual é de aproximadamente R$ 770 mil para que todo o prédio passe por reparos. Este ano, o Governo do Paraná vai reformar mais de mil escolas com pequenos e grandes reparos. Destas, 120 unidades serão praticamente reconstruídas. Nos últimos dois anos foram realizadas mais de 1,8 mil obras nas escolas de todo o Paraná, com investimentos que somam R$ 620 milhões em estrutura física.

REFORMA – O prédio de 56 anos é um dos maiores da região metropolitana de Curitiba e atende a cerca de dois mil alunos do ensino fundamental, médio e técnico.

De acordo com a vice-diretora, Cristiane Tessari da Silva, com as obras a escola vai ganhar mais espaço e mais comodidade para os alunos e funcionários. “Era algo que nós esperávamos há muito tempo. Além de ficar mais confortável e espaçosa, a estética ajudará a motivar os alunos”, comemorou.

A escola terá as instalações elétricas renovadas, com novas luminárias para o pátio e quadra de esporte. Na estrutura hidráulica, serão feitos reparos e melhorias nos banheiros.

Também haverá melhorias nos laboratórios de química, física e informática, cozinha, salas de aula e multiuso, além da secretaria e da construção da casa para o caseiro. Serão feitos reparos na cobertura, pinturas interna e externa e a adequação de acessibilidade e de prevenção contra incêndio.

A capacidade de uso elétrico da escola já foi aumentada e passou de 70 para 150 amperes. A ampliação vai atender a demanda de energia para o uso dos laboratórios, fogões, fornos elétricos e freezeres entregues pelo Governo do Estado.