Por Elizangela Jubanski 

doacoes-campo-largo-190114-bandabdentroDoações arrecadas no Centro da Juventude. Foto: Banda B

A prefeitura de Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, mudou as regras para a entrega de donativos aos afetados pelas chuvas que aconteceram no último dia 17. Após registrar desvios de doações e denúncias de que pessoas estariam se prevalecendo de alguns produtos, desde o início dessa semana, a Provopar envia uma equipe de funcionários para checar a real situação da família. Segundo informação da assessoria do programa, esta é a maneira mais eficiente de levar as doações para os mais necessitados.

O funcionário da Provopar do município, que é o Programa Voluntariado Paranaense, admitiu à Banda B, na manhã desta quarta-feira (29), que houve falhas no início da entrega das doações. “Muita gente que não precisava acabou indo lá e se aproveitou da situação. Até mesmo o comércio se prevaleceu em alguns aspectos. Então, agora que nós conseguimos estabilizar a situação e colocar em ordem aquilo que foi levado e o que precisa ser doado com urgência para as pessoas”, disse Marcílio Roberto de Almeida, que é assistente social.

Revolta

No entanto, alguns moradores que foram na manhã de hoje (29) em busca de doações ficaram revoltados por não conseguirem levar para a casa o que precisavam. A dona de casa Laurentina Ferreira de Souza, 41 anos, mora no bairro da Raseira, perdeu quase todos os móveis e roupas que tinha em casa. “Cheguei aqui e estão segurando as doações. To precisando de produtos de higiene, alimentos, roupinhas para as crianças. Falaram que nessa nova forma de doar, vai demorar mais de dois meses. Até lá, quem precisa não vai precisar mais”, reclama.

O novo sistema adotado para evitar os desvios de doações faz com que os produtos sejam entregues nas casas dos moradores mais necessitadas. Após preencher um cadastro obrigatório, o morador é orientado a voltar para casa e aguardar a chegada dos donativos. “Tinha pessoa vendendo colchões, alimento, lonas. Não podemos perder o controle. Nós vamos dar tudo que arrecadamos, logicamente. O que faríamos com tudo isso a não ser dar para essas pessoas que perderam tudo? Mas, precisamos pegar os dados dessas pessoas e entregar para quem realmente precisa. Estamos fazendo isso o mais rápido que conseguimos”, explica Almeida da Provopar.

Doações

O Centro da Juventude continua recebendo doações de roupas, alimentos, produtos de higiene, água, fraldas, colchões e, sobretudo, telhas – a maior procura entre os moradores afetados. A distribução acontece em parceria com a Defesa Civil de Campo Largo e a Secretaria de Assistência Social do município.