Do MP-PR

A 2ª Promotoria de Justiça de Antonina, no litoral, emitiu nesta quinta-feira (8) recomendação administrativa dirigida ao Governo do Estado do Paraná e ao Comando Geral da Polícia Militar para que seja implantado um posto permanente de policiamento na Ilha de Superagui. A medida foi tomada após queixas de moradores da ilha relatando a ausência de segurança pública na localidade e arredores.

Os moradores informaram à Promotoria de Justiça que, quando solicitam a intervenção da Polícia Militar, não são atendidos, sob a alegação de que não há embarcações para o deslocamento, nem combustível para os veículos. Em visita realizada à ilha em 29 de maio último, o MP-PR constatou a ausência do Poder Público no local, em especial dos órgãos responsáveis pela segurança. Para registrar boletins de ocorrência, termos circunstanciados ou outros documentos policiais, a população precisa ir até Guaraqueçaba, distante aproximadamente duas horas de viagem da ilha.

Diante do quadro de abandono da Ilha de Superagui pelos órgãos de segurança pública, a Promotoria de Justiça recomendou a implantação do posto policial no local, com um efetivo mínimo de cinco policiais, bem como a disponibilização de meios para a prestação dos serviços de segurança, como embarcações para o deslocamento dos policiais, equipamentos para atender necessidades relacionadas a possíveis prisões, armamentos não letais, computadores e impressoras para o registro de boletins de ocorrência e termos circunstanciados, entre outros materiais.

A recomendação administrativa estabelece prazo de 20 dias para que os responsáveis relatem as medidas tomadas para sanar os problemas.