Por Felipe Ribeiro

Após pressão e ameaça de greve em vários setores do funcionalismo público estadual, o Governo do Paraná teria decidido voltar atrás em alguns pontos do “pacotaço” de corte de gastos anunciado pelo governador Beto Richa na última semana. As medidas que poderão ser retiradas do projeto que iria à votação na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta segunda-feira (9) estão relacionadas principalmente com o tempo de serviço.

alep2

Foto: Divulgação Alep

Segundo o apurado pela Banda B, as demais medidas que podem ser retiradas do projeto estão relacionadas às progressões e ao plano de desenvolvimento das carreiras dos docentes. Outro ponto que seria retirado é o fim do quinquênio. O Governo havia proposto congelar os valores e não conceder novos adicionais por tempo de serviço.

Para ir à votação, o novo projeto precisa chegar à Assembleia nas próximas horas. Ao que tudo indica, o Governo tentará aprovar todos os demais pontos em regime de “tratoraço”.

Entre as medidas que ainda seguem para votação e são consideradas impopulares está a suspensão do pagamento de auxílio transporte para servidores da Educação que estejam afastados do trabalho e o ponto relacionado à Previdência do estado.

Cinco mil professores se reúnem na Praça Nossa Senhora de Salete para pressionar os deputados pela não aprovação do pacote, mas a tendência é que o novo projeto seja aprovado.