Por Felipe Ribeiro e Ricardo Vieira

Após quatro dias internado, o terceiro sargento Wellignton de Matos não resistiu a um procedimento médico e morreu durante a madrugada deste sábado (13), no Hospital Evangélico de Curitiba. Lotado nas Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Matos foi para o hospital após ser baleado na perna durante confronto em Itaperuçu, na região metropolitana da capital.

Foto: Reprodução Facebook

Foto: Reprodução Facebook

De acordo com o comandante do Bope, tenente-coronel Hudson Teixeira, o sargento lutou muito pela vida, mas, mesmo com o esforço da equipe médica, acabou morrendo durante a madrugada. “Ele foi atingido por um disparo de arma calibre 12 e a munição contava com uma esfera de rolamento, que aumenta muito o potencial ofensivo. Como o tiro atingiu a artéria femoral, o sargento não resistiu”, explicou.

Caso

O policial foi ferido na perna por arma de grosso calibre durante confronto no Jardim Itaú, em Itaperuçu. Segundo informações apuradas com a polícia, o Bope estava em uma operação na região quando foi surpreendido por um grupo armado. O tiro que atingiu o policial foi à queima roupa e ele caiu na hora.

O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionado e encaminhou Mattos ao pronto-socorro do Hospital Evangélico. Durante o atendimento ao policial, o suspeito foi perseguido e morto, na Rua Edna Valente Curi. Identificado como Alan de Miranda, 20 anos, o jovem já tinha passagem pela polícia.

À Banda B neste sábado, o tenente-coronel Hudson disse que algumas pessoas já foram ouvidas sobre o caso e inquérito policial foi instaurado para apurar as circunstâncias do crime.