Divulgação

Um aplicativo para tablets e celulares, desenvolvido por cinco estudantes de Curitiba, causou polêmica nas redes sociais durante esta quarta-feira (27). Com o objetivo de facilitar a vida dos usuários do transporte público da capital, o aplicativo pretendia trazer, entre as funcionalidades, a localização em tempo real dos ônibus através de um mapa, mas devido ao alto número de downloads, o sistema parou de funcionar, o que causou a revolta de quem havia baixado e dos desenvolvedores.

Entre as reclamações, perfis da rede social Facebook acusavam a Urbs de retirar o sistema utilizado pelo “Busão Curitiba” para mapear a localização dos ônibus. “Não sabemos por que eles fizeram isso, mas vamos tentar contato com a Urbs para entender como podemos chegar numa solução”, afirma Diego Trevisan, um dos desenvolvedores responsáveis pelo projeto, em entrevista ao perfil Curitibanice.

Esse perfil chegou a fazer um apelo ao presidente da Urbs, Roberto Gregório, para que o interesse público prevalecesse. “Uma resposta sobre o motivo deste boicote é o mínimo que se espera da instituição responsável por gerir aquele que é considerado o melhor sistema de transporte público do Brasil”, afirma o perfil.

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba que negou a derrubada proposital do sistema. Segundo a Urbs, a queda se deu devido ao alto número de usuários, que pegou a gestora do transporte público de surpresa, fazendo com que o servidor não suportasse os acessos. “É de interesse da Urbs que essas informações sejam difundidas, mas não fomos avisados da utilização do sistema. Vamos entrar em contato com os desenvolvedores para que possamos reativar o sistema”, disse a prefeitura.