O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na noite desta terça-feira (5) em rede de rádio e televisão, a morte do presidente Hugo Chávez. Nesta tarde, Maduro confirmou notícia dada na noite passada sobre o agravamento do estado de saúde de Chávez. O presidente morre aos 58 anos, depois de enfrentar longo tratamento contra câncer.

No pronunciamento, Maduro disse que, nas próximas horas, o governo vai informar onde será velado o corpo de Chávez e dará detalhes sobre o sepultamento. Maduro pediu que o povo venezuelano enfrente este momento “com o amor que Chávez ensinou”. O vice-presidente encerrou a fala com a frase: “Viva Hugo Chávez! Viva para Sempre”.

Horas antes, Maduro havia se reunido com os governadores chavistas e com os membros do governo no Palácio de Miraflores. No início da tarde, ele fez um pronunciamento no qual informou que dois adidos militares dos Estados Unidos foram expulsos da Venezuela por estarem conspirando contra a segurança nacional.

Na mesma fala, o vice também acusou os “inimigos” de causarem a doença de Hugo Chávez e anunciou que uma comissão vai investigar essa possibilidade. “O comandante enfrenta seus dias mais difíceis”, disse Maduro, embargando a voz.
Comandante Chávez, obrigado por tudo o que fez por esse povo”, afirmou, emocionado, o encarregado de substituir o presidente venezuelano. Nicolás Maduro, escolhido vice por Chávez após as eleições de outubro do ano passado, disse que as informações sobre o velório e o enterro do mandatário serão passadas em breve.

Doença

Hugo Chávez tratava um câncer desde junho de 2011, quando se submeteu, em Cuba, a primeira operação para retirada de nódulos. O líder da chamada revolução bolivariana se submeteu ao tratamento de quimioterapia e, no dia 20 de outubro do mesmo ano, anunciou que o câncer tinha sido superado. No entanto, em fevereiro de 2012, Chávez fez novos exames e descobriu “uma lesão” no mesmo local de onde o tumor foi retirado. Era outro tumor, que foi retirado. O presidente, então, voltou a se tratar em Havana. O local exato do câncer nunca foi revelado.

No dia 9 de julho de 2012, o presidente venezuelano afirmou que estava “totalmente curado” da doença. O câncer persistiu e, no dia 8 de dezembro, Chávez foi à televisão anunciar que precisava se submeter a um novo tratamento, mais forte, e que poderia não assumir para seu terceiro mandato em janeiro. “Se isso acontecer e novas eleições forem convocadas, peço que votem no companheiro Nicolás Maduro”, disse na época. Esta foi a última vez que Chávez foi visto em público.

A cirurgia foi realizada em Havana no dia 11 de dezembro e, desde então, Chávez não fez mais pronunciamentos. A voz do presidente nunca mais foi ouvida. Essa ausência causou uma série de dúvidas sobre o real estado de saúde do líder. A oposição acusava o governo de estar mentindo. O governo divulgava boletins quase semanais com poucas informações.

Em fevereiro, após semanas de incertezas, o governo da Venezuela divulgou imagens de Chávez ao lado das filhas. Nas três fotos exibidas por Maduro em uma entrevista coletiva, o presidente aparecia deitado e sorrindo.