Por Marina Sequinel e Antônio Nascimento

(Foto: Banda B)

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores da Grande Curitiba (Sindimoc) protocolou, na manhã desta quarta-feira (22), um documento pedindo ajuda ao poder público para pôr fim à greve do transporte coletivo. De acordo com o presidente da entidade, Anderson Teixeira, após a assembleia realizada ontem, todos os itens de negociação foram retirados de pauta e a situação voltou à estaca zero.

(Foto: Divulgação/Sindimoc)

Ele ainda declarou que a orientação é de que 100% da frota circule hoje pela cidade, durante as 24 horas de trégua da paralisação. Um balanço da prefeitura indicou, no entanto, que por volta das 14h, esse número era de 89%. “No momento, não existe proposta alguma. Nós temos como objetivo buscar pela última recomendação da desembargadora decidida na audiência. O que queremos com o documento protocolado é sensibilizar o prefeito de Curitiba para que dê um sinal para a Urbs resolver essa situação”, disse Teixeira em entrevista à Banda B.

Nesta quarta, os trabalhadores decidiram suspender a paralisação por 24 horas, e, se não houver uma contrapartida por parte da classe patronal, a greve será retomada. “Hoje, os motoristas e cobradores decidiram dar uma trégua para mostrar bom senso. Agora, sem resposta ou ação, nós vamos permanecer de braços cruzados até que o dissídio seja julgado”, completou o presidente.

Uma nova assembleia dos trabalhadores está marcada para a manhã desta quinta-feira (23) para definir os rumos da greve. Hoje, os ônibus devem funcionar normalmente.