Por Felipe Ribeiro

samu

Foto: Flávia Barros – Banda B

Comunicado enviado pela Secretaria Municipal de Planejamento e Administração a profissionais que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) vem causando preocupação a várias pessoas em Curitiba. Isso porque o informe, que a Banda B teve acesso nesta sexta-feira (2), diz que as ambulâncias não mais poderão abastecer aos fins de semana e feriados. A mensagem ainda pede que motoristas encham o tanque nas tardes de sextas-feiras para evitar transtornos ao longo do plantão. Em nota, a Prefeitura de Curitiba informou que a medida visa diminuir os custos com horas-extras e afirma que a cidade ainda terá um abastecimento emergencial se necessário.

De acordo com um profissional do serviço, que preferiu não se identificar, o comunicado causou estranheza e pode causar muitos problemas no atendimento a pacientes. “Você consegue imaginar uma cidade do tamanho de Curitiba com um único sistema de abastecimento para todas as viaturas da cidade e que este sistema não atenderá aos sábados, domingos e feriados? Eu me sinto um palhaço e vai morrer gente por isso”, afirmou.

O Samu reúne profissionais médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e condutores socorristas, que atendem situações de urgência ou emergência de natureza clínica, cirúrgica, traumática, obstétrica, pediátrica e psiquiátrica. O serviço também presta apoio, se necessário, ao Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate).

Em nota, a Prefeitura de Curitiba confirmou que, já a partir desta semana, as ambulâncias do Samu estão orientadas a abastecer os veículos prioritariamente nas sextas-feiras, porque os seis postos de abastecimento mantidos pelo município deixarão de abrir aos sábados. “As ambulâncias têm tanque com capacidade para 90 litros de combustível, o que garante autonomia de cerca de 600 quilômetros, assegurando a manutenção do serviço de transporte para urgência e emergência. Ainda assim, em caso de necessidade as ambulâncias poderão ser abastecidas aos sábados em caráter emergencial. A medida visa reduzir o dispêndio com horas extras, diante do momento de crise financeira e queda na arrecadação pelo qual passam as prefeituras, inclusive a de Curitiba”, diz a administração municipal.

O sábado (3) será o primeiro dia da nova medida.