Cerca de 300 alunos do Colégio Estadual Geraldina da Mota, em Campo Largo, Região Metropolitana de Curitiba, começaram nesta segunda-feira (4) a estudar numa nova escola construída pelo Governo do Estado. A obra, que era aguardada pela comunidade há mais de cinco anos, vai ampliar o atendimento para mais 100 alunos do ensino médio e fundamental.

“Essa escola foi uma grande conquista para a nossa comunidade. Esperávamos por esse espaço há muito tempo. Agora nós ficamos mais tranquilos porque os nossos filhos estão estudando em lugar adequado e seguro”, contou Antônio Moreno Arroio, presidente da comissão de pais que acompanha a obra.

De acordo com ele, que tem dois filhos que estudam na escola, a comunidade abraçou o projeto da nova escola, e acompanhou diariamente o andamento das obras.

O prédio foi construído no mesmo bairro, em uma área de 2,5 mil metros quadrados, com um investimento de R$ 3,2 milhões. A escola conta com 10 salas de aula, seis salas administrativas e específicas para atendimento pedagógico.

O antigo prédio do colégio foi desativado há mais de cinco anos devido a problemas estruturais. Nesse período os alunos estudavam em um barracão provisório. “Fiquei surpresa quando cheguei hoje na escola. Está tudo muito bonito e com cheiro de novo’, disse a aluna Mariana Ribeiro, 14 anos, do 9° ano. “Sem dúvida está muito melhor, agora nós temos mais espaço, as salas de aula são mais arejadas”, disse o aluno Gabriel Alves dos Santos Casagrande.

Além das salas novas, a escola ganhou laboratórios de química, física, biologia e informática, biblioteca, quadra coberta, cozinha, refeitório, pátio e casa do zelador. O colégio conta também com banheiros adaptados, elevador e rampa de acesso para alunos com múltiplas deficiências e rampa para alunos cadeirantes.

O mobiliário também é novo. A Secretaria de Estado da Educação entregou 400 conjuntos escolares para alunos com mesas e cadeiras e 10 para os professores, geladeiras, forno, fogão, freezer, mobiliário com prateleiras e estantes.

Carmelita Laurindo, que tem uma neta que estuda na escola, afirmou que o novo prédio superou as expectativas da comunidade. “A nova escola está muito bonita e aconchegante”, disse.