Da Redação

Agentes da Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba (Setran) não saíram para as ruas na manhã desta segunda-feira (1). O motivo é uma manifestação por mais segurança, após o agente Reinaldo Lopes, de 54 anos, ser assassinado após verificar uma denúncia anônima ao telefone 156 da Prefeitura, na noite da última sexta-feira (29), na Cidade Industrial de Curitiba.

Os agentes só voltarão às ruas a partir de amanhã, por sua vez os responsáveis pelo EstaR já trabalharam normalmente na tarde de hoje. A informação do sindicato da categoria é que a partir de agora os agentes trabalharão em dupla, o que não foi confirmado pela Prefeitura de Curitiba.

Prefeitura

A Prefeitura de Curitiba enviou nota sobre a reivindicação da categoria:

A Secretaria Municipal de Trânsito reuniu-se na manhã desta segunda-feira (01) com agentes de trânsito. A reunião foi motivada pela morte do agente Reinaldo Lopes, no último sábado. A categoria pediu alguns ajustes na rotina de trabalho e decidiu retomar plenamente as atividades nas ruas na terça-feira. Os agentes que trabalham com o Estacionamento Regulamentado (EstaR) retomam as atividades ainda na tarde desta segunda-feira. 

A Prefeitura pediu à Policia Civil rigor na apuração das circunstâncias da morte de Reinaldo Lopes, ainda desconhecidas, e continuará acompanhando as investigações.

O crime

O agente da Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba (Setran) foi morto a tiros na noite da última sexta-feira (29) na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). O caso aconteceu por volta das 22h na rua Ricarso Emílio Michel, a cerca de 300 metros do 23º Batalhão da Polícia Militar (PM).

Segundo informações da Setran, o agente Reinaldo Lopes, de 54 anos, recebeu uma ordem de serviço por meio do telefone 156 da Prefeitura, que informava sobre uma denúncia de um carro estacionado em guia rebaixada. Ao chegar no local, ele não confirmou a situação e estava retornando para a sede da Setran quando foi assassinado.

Notícia Relacionada:

Agente da Setran sai verificar denúncia do 156 e, na volta, é morto a tiros em Curitiba