O Fórum Permanente da Agenda 21 Paraná, coordenado pela Secretaria estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, reuniu nesta terça-feira (7), em Cascavel, entidades do terceiro setor para discutir ações de sustentabilidade. Este foi o último de uma série de encontros que também passaram por Curitiba, Maringá, Londrina, Ponta Grossa e Paranaguá durante os meses de abril e maio.

Com o tema ‘Agenda 21 no Movimento Social’, o objetivo dos eventos é reforçar a participação do terceiro setor nos processos da Agenda 21. Entre as entidades envolvidas estão Organizações Não Governamentais (ONGs), sindicatos, secretarias municipais, núcleos regionais de educação, colégios estaduais e universidades.

“A ideia é articular as entidades e garantir esta representatividade na IV Conferência Estadual do Meio Ambiente e na I Conferência Estadual da Agenda 21, que serão realizadas em outubro deste anol”, explicou o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida. Para ele, o número de participantes nos eventos demonstra a relevância da temática ambiental para a sociedade.

A coordenadora do Fórum Permanente da Agenda 21 no Paraná, Rosana Gnipper, disse que os encontros atingiram o maior propósito do fórum, que é o de estimular representantes da sociedade a se engajarem no processo da implantação da Agenda 21 em seus municípios. “Localmente as entidades estão entendendo a importância do seu papel junto ao poder público, para que unidos possam construir um novo modelo de desenvolvimento fundamentado no desenvolvimento sustentável, como já foi apontado na Rio92 e fortalecido na Rio+20”.

PROPOSTAS – Cada região apontou suas demandas prioritárias e propostas para as conferências. Em Ponta Grossa, por exemplo, foi formado um grupo virtual com o objetivo de criar um fórum regional da Agenda 21, que irá mobilizar localmente as ações e debates da Agenda.

Em Paranaguá, os participantes resolveram organizar um movimento com eventos públicos, passeatas e gincanas. A meta é chamar a atenção da comunidade para que o município se desenvolva de forma sustentável.

Todos os participantes das reuniões receberam materiais multimídia para consolidar a Agenda 21 em seus locais de trabalho, além de uma lista com 25 propostas que podem ser implementadas em sua localidade. Entre elas, formar canteiros para produção de mudas de árvores nativas nos municípios, divulgar a produção e o consumo na sociedade, incentivar a prática substitutiva do uso de animais no ensino e na pesquisa, rever a prática de controle de espécies exóticas invasoras, discutir e mudar a postura sobre o consumo de embalagens e, ainda, proporcionar o debate político entre movimentos e entidades.

AGENDA 21 – A Agenda 21 é o principal documento da Rio-92 – Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano. Assinado por 179 países, estabelece que cada país deve se comprometer a refletir, global e localmente, sobre a forma pela qual governos, empresas, organizações não governamentais e outros setores da sociedade cooperam em busca de soluções socioambientais. No Paraná, a coordenação da Agenda 21 é vinculada à Secretaria do Meio Ambiente. As discussões nacionais são coordenadas pela Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21 Nacional (CPDS).