Em Curitiba, 26 agências estão fechadas, mais o Centro Administrativo Palácio Avenida.

As agências do banco HSBC em Curitiba amanheceram de portas fechadas nesta quinta-feira (18) para a realização Dia Nacional de Lutas que prevê paralisação durante 24 horas. Esta greve temporária acontece em todo o país. Os bancários vão protestar durante todo o dia contra as demissões, o assédio moral, a pressão pelo cumprimento de metas abusivas e o desrespeito do banco aos direitos da categoria. Clientes podem utilizar os autoatendimentos e os serviços por telefone.

Em Curitiba, 26 agências estão fechadas, mais o Centro Administrativo Palácio Avenida. Amanhã a previsão é que o atendimento volte ao normal. De acordo com o Sindicato dos Bancários, apesar de ter lucrado R$ 1,225 bilhão em 2012, o HSBC Brasil fechou 946 postos de trabalho em 2012. “É a prova de que a rotatividade, vinculada à terceirização, vem crescendo ano a ano, precarizando o emprego”, afirma Carlos Kanak, diretor do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região e coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE/HSBC).

Plano de Saúde

O HSBC anunciou mudanças no plano de saúde que prejudicaram todos os funcionários do banco, ativos e aposentados.Além dos reajustes que encarecerão o custo dos trabalhadores, o banco está criando uma nova divisão entre os bancários: os que são beneficiados pela Lei Federal nº 9.656/98 e têm direito à manutenção do plano de saúde (seis meses a dois anos) em caso de demissão sem justa causa por contribuírem mensalmente, e os que não terão a chance de contribuir e, por isso, não poderão usufruir da manutenção para além do que determina a convenção coletiva (máximo de 270 dias).

O banco afirmou que não está mais disponível para negociar tais alterações. O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região entrou com ação judicial com pedido de tutela antecipada, visando obter acesso às informações referentes ao plano de saúde, como contratos e custos.