Redação com Gazeta do Povo

Os advogados do ex-assessor da Casa Civil da Presidência da República, Eduardo Gaievski, aguardam o resultado de um pedido de habeas corpus que deve sair nesta segunda-feira (2). O pedido foi feito no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) na última quinta (29), antes mesmo de o político ser preso em Foz do Iguaçu e transferido para Curitiba. Gaievski é acusado de manter relações sexuais com garotas menores de idade em motéis de Realeza e em troca pagar os favores com dinheiro ou cargos na prefeitura.

ex-assessor31082013-2

Foto: Bruno Henrique – Banda B

Rafael Antônio Seben, um dos advogados de Gaievski, disse em entrevista à Gazeta do Povo que eles irão tomar novas providências, caso seja necessário, apenas após o veredito sobre o pedido de liberdade. “Com certeza [ele será solto], até porque a prisão neste caso é incabível. Apresentamos contraprovas a todas as acusações que constam na denúncia e ele solto não representa risco às investigações”, defendeu.

Ontem, o ex-assessor afirmou ser inocente das acusações (Assista ao vídeo aqui). Ele foi preso pela polícia na manhã deste sábado (31) em um apartamento de parentes. Na chegada do ex-assessor ao 3º Distrito Policial, já em Curitiba, Gaievski disse à Banda B que tem provas de sua inocência. “Sou inocente, tenho como provar”, disse. Ele foi detido em Foz do Iguaçu e veio sob escolta policial, de carro, até a capital, onde deve ser encaminhado a uma das delegacias da cidade. O ex-assessor não estava algemado e aparentava estar tranquilo. “Jamais abusei das meninas”, finalizou, antes de entrar na delegacia.

Ontem a ministra Gleisi Hoffmann disse em nota que tem uma história de vida, não só política, em defesa da mulher e seus direitos, mas também de crianças e adolescentes. “As acusações imputadas a Eduardo Gaievski são da mais alta gravidade e têm que ser apuradas levando-se às últimas consequências. Jamais compactuei ou compactuarei com crimes, ignorando-os ou acobertando-os”, disse.

Notícias Relacionadas:

“Sou inocente, tenho como provar”, diz ex-assessor da Casa Civil preso nesta manhã