Antônio Nascimento – Banda B

O advogado do Hospital Evangélico, Hélio Gomes Coelho Junior, afirmou em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (25) que a atividade policial, que já resultou na prisão de quatro médicos e uma enfermeira, se apoiou em denúncias sem fundamento e que a mídia tem feito uma “espetacularização” das notícias. “A atividade da Polícia Civil foi policialesca e midiática, eles se apoiaram em denúncias equivocadas e acabaram induzidos ao erro. Mas o que nos surpreendeu foi a forma que a ação foi feita, já que a justiça havia determinado sigilo”, disse.

Ainda segundo Coelho, a razão da coletiva de imprensa foi a de restaurar o bom senso em torno da instituição. “É bom afirmar que não se faz qualquer suspensão quanto à atividade hospitalar. Insinua-se que algo possa ter acontecido em relação a uma pessoa, que pode ter tido um problema”, comentou.

Para o diretor técnico do hospital, Luiz Felipe Natel Mendes, a ação policial pegou os gestores do hospital de surpresa, já que o primeiro mandado, da chefe da UTI Virginia Soares de Souza, estava expedido para a residência dela. “Não entendemos a situação, já que como gestores queremos salvaguardar o bom desenvolvimento que o trabalho realiza e apenas ela era a investigada”, concluiu.