O delegado de Homicídios de Foz do Iguaçu, Marcos Araguari divulgou hoje (22) a prisão de um casal acusado de abandonar e maltratar o filho de 13 anos, que morreu de desnutrição e desidratação no último dia 5 de abril.

Quando morreu, o adolescente pesava 8,8kg. “Nós constatamos através do laudo pericial, de depoimentos e fotografias, que a criança era vítima de maus tratos: cabelos longos, unhas sem cortar, sujeira na pela e uma magreza extrema.

Enfim, todo aspecto do adolescente dava conta de uma desnutrição. O Legista atestou desnutrição e desidratação. Os pais argumentam que o adolescente era portador de um distúrbio neurológico, mas fotografias antigas mostram que ele era saudável. O abandono não tem justificativa”, contou o delegado.

O Conselho Tutelar de Foz do Iguaçu acompanhava a situação com este adolescente desde fevereiro, quando foi feita uma denúncia. “Todos os encaminhamentos foram feitos, todas as notificações foram feitas. Porém, a mãe, responsável legal do adolescente, não acatou e negligenciou estas requisições”, contou Willian Magnun Donato, conselheiro tutelar em Foz.

O adolescente morava com a mãe e o padrasto. Os pais estão presos na Cadeia Pública Laudemir Neves desde o dia 12, mas a padrasto também será responsabilizado pelo crime. “Consideramos a omissão dos pais penalmente relevante, tendo o crime de homicídio com crueldade, na ausência de alimento e água para a vítima. Indiciamos os pais por homicídio qualificado, com prisão temporária por 30 dias. Em relação ao padrasto, também responderá por omissão de socorro”, disse o delegado.

Para ver a reportagem da catve.tv, clique aqui