A campanha “Pichação é crime: Denuncie”, uma aliança entre a Prefeitura Municipal de Curitiba e a Associação Comercial do Paraná (ACP), para combater a prática das pichações nos edifícios da capital, avança mais uma etapa. “Agora quem pintar o sete nas paredes de propriedades alheias será processado por danos materiais e morais”, declarou o vice-presidente da ACP Camilo Turmina, em entrevista à Banda B nesta segunda-feira (4).

A ACP vai disponibilizar uma banca de advogados para os donos de comércio que se sentirem lesados pelas pichações de seus estabelecimentos. Com eles poderão mover um processo contra o vândalo por indenização moral e material. “Uma parede pichada interfere nas vendas, no lucro e espanta clientes. Nós vamos incentivar que os comerciantes prejudicados possam entrar na justiça contra os pichadores pedindo indenização em valores” afirmou.

Segundo Turmina, a medida é necessária já que há alguns anos somente as multas e serviços comunitários não deram conta de impedir o vandalismo. “A hora que tiverem que gastar dinheiro com advogados, ir a audiências, vão perder o tempinho vago pra ficar maquinando picaretagens e poluição na nossa cidade. Vai faltar dinheirinho pra comprar tinta e sair sacaneando os outros”, descreveu.

O vice-presidentetambém informou que o combate às pichações na cidade conta com o apoio da Associação dos Condomínios Garantidos do Brasil (CGB) que vai disponibilizar 12 zeladores de quadra para atender a denúncias e ir até o endereço quesofreu a agressão paralimpar o local com a despichação.

No último domingo (03) a prefeitura e a ACP com a ajuda de cerca de 100 voluntários promoveram um dia de despichação dos comércios e edifícios da rua XV de novembro. O projeto conta com a participação de empresas de tinta que doaram materiais para que os comerciantes e voluntários, e até o Prefeito Gustavo Freut, limpassem os comércios da rua XV.

As denúncias de pichação podem ser feitas pelo telefone: 153 ou 3320-2929