Da Redação

Os metalúrgicos da Volkswagen de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, decidem na próxima segunda-feira (19) se aceitam o acordo salarial proposto pela empresa. Entre os pontos da proposta está um plano de demissões voluntárias (PDV) e a redução de jornada de trabalho e salários, com a adesão da unidade ao Programa de Proteção ao Emprego (PPE) do governo federal.

volks

Foto: Divulgação

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC), a Volks seria a primeira empresa da região a aderir ao (PPE). “Esta negociação abre um precedente para as discussões de garantia de emprego com a dificuldades que as empresas passam hoje, em virtude da crise política e econômica do país”, analisa o presidente do sindicato, Sérgio Butka.

Com votação concluída pela Câmara na última semana, o PPE permite a redução temporária da jornada de trabalho, com diminuição de até 30% do salário. Para isso, o governo arcará com 15% da redução salarial, usando recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

O número de funcionários a serem incluídos no projeto da empresa ainda dependeria da adesão ao plano de demissões voluntárias, programado para o fim do mês. Quem aderir ao programa receberia o equivalente de cinco a dez salários, conforme o tempo de empresa.

A unidade paranaense da Volkswagen emprega cerca de 3,5 mil trabalhadores, sendo 2,4 mil da linha de produção e 1,1 mil do administrativo. São produzidos diariamente 460 automóveis (Fox, Crossfox, Space Fox, Golf e Audi A3). Além do mercado interno, a montadora produz para Argentina, Venezuela, Chile e México.