Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

Minutos após a justiça expedir a liberdade dos quatro acusados do Caso Tayná, o sentimento por parte dos familiares em frente à Casa de Custódia de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, era de aflição. Em entrevista à Banda B, o pai de um deles, Sérgio da Silva, comentou que nada foi provado, então a expectativa de ver o filho após quase um mês era muito grande. O filho dele, Sérgio Amorin da Silva Filho, de 22 anos, é o suspeito que apresentava os maiores sinais de agressão, inclusive deixando a mostra os tecidos da pele.

“Essa semana está sendo muito difícil, estou tendo insônia e até no trabalho a gente não consegue exercer direito, agora espero que tudo se encaminhe bem na situação dele e no caso. Foi um mês de angústia já que ninguém da família conseguia ver ele. Nós íamos na delegacias e não o encontrávamos”, comentou o pai.

Silva ainda afirmou não duvidar da inocência do filho, uma vez que acredita que ele foi vítima de uma ação forjada. “Apesar de eu não conviver com ele há alguns anos, tenho a certeza de que ele não seria capaz de cometer esse crime”, disse.

Ouça a entrevista concedida ao repórter Antônio Nascimento no player abaixo:

15.07 – ENTREVISTA PAI DE ACUSADOS CASO TAYBÁ