Pelas oitavas de final da Libertadores, na primeira partida, o Atlético Mineiro ganhou de 2X1 de virada do São Paulo, em pleno Morumbi. A vitória, no entanto, não foi tarefa fácil para o Galo Mineiro. Pelo que vinha apresentando técnica e taticamente o time paulistano, tudo levava a crer que a vitória não escaparia da equipe treinada pelo Ney Franco.

O nível dessa confiança aumentou, principalmente, quando Jadson foi para galera, tirando o zero do placar, depois de receber um passe do meia Paulo Henrique Ganso. Este, aliás, fez a melhor apresentação com a camisa do Tricolor, merecendo aplausos dos torcedores que empolgados acreditavam que a vitória não escaparia.

O sonho, entretanto, não passou dos 35 minutos do primeiro tempo, principalmente, depois que o zagueiro Lúcio cometeu uma falta infantil no atacante mineiro Bernard – o que culminou com a expulsão daquele.

Ora, é claro que a torcida não se conformou com a atitude desse zagueiro, demonstrada no ato da falta, por conta da experiência que ele tem de Copa do Mundo, de dez temporadas atuando na Europa, dentre outras conquistas. E o pior estava por vir.

O Galo passou a dominar o jogo, chegando ao gol de empate com Ronaldinho que, nessa oportunidade, foi coadjuvante. Você, caro leitor, deve estar se perguntando: Ronaldinho Gaúcho coadjuvante? Explico o porquê dessa afirmação: o atacante Diego Tardelli chamou a responsabilidade para si, movimentou em todos os setores do ataque, foi o melhor jogador da partida, fez o segundo gol e várias jogadas de alto nível técnico, caracterizando-se como o cara da demanda. Pelo que vem jogando, aliás, merece uma oportunidade em nossa Seleção, não é mesmo?

Quanto ao próximo jogo que será realizado amanhã, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, a equipe do técnico Cuca que está praticando o melhor futebol no Brasil, jogando no sistema tático 4-3-3, passando para 4-2-4 e, nas variantes táticas, por algumas vezes, ousa atuar no 4-1-5 (este posicionamento era aplicado pelo saudoso técnico santista Lula, na década de 60, com Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Que maravilha!) graças ao bom trabalho que esse profissional vem desenvolvendo com inteligência e determinação.

Enfim, tudo aponta para a chapa quente que pode sapecar o time paulistano lá pelos ares de Minas Gerais. É isso.