Da Redação com Gazeta do Povo

O exame de corpo de delito realizado nos suspeitos de terem cometido o estupro e assassinato da adolescente Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, comprova que os quatro foram agredidos. A declaração foi feita nesta quarta-feira (10) pelo diretor da Casa de Custódia de Curitiba, Edwaldo Willis de Carvalho, ao Jornal Gazeta do Povo. Nesta semana um exame realizado na menina Tayná comprovou que o sêmen encontrado na calcinha da vítima não é de nenhum dos quatro presos.

Segundo o Wilis, as agressões aos presos ocorreram antes deles chegarem à unidade prisional da qual ele é o responsável. Ele relatou que recebeu os presos na quinta-feira (4), no mesmo dia em que eles tinham sido transferidos de Colombo para o Centro de Triagem de Piraquara. Um outro exame havia sido feito pela Secretaria de Segurança Pública (Sesp), mas o diretor afirma que não teve acesso.

Os quatro suspeitos estão em uma sala isolada do complexo, sem contato com outros detentos.

Notícia Relacionada:

Defesa diz que quatro acusados da morte de Tayná foram torturados; Sesp muda investigação