Por Luiz Henrique de Oliveira

Willian foi socorrido no Hospital Cajuru após as agressões que sofreu (Fotos: Arquivo Pessoal)

Viralizou nas redes sociais a postagem de familiares de Willian Marquesini, de 20 anos, morador de Curitiba. A denúncia é que o jovem foi agredido brutalmente por seguranças da casa noturna Wood’s Bar, durante a madrugada deste domingo (29), no bairro Seminário. Tudo teria começado após uma confusão envolvendo uma abordagem de outro frequentador à namorada de Willian, que, revoltado, partiu para cima dele e acabou imobilizado pelos funcionários da balada.

Marcas das agressões nas costas do jovem

Willian já fez Boletim de Ocorrência (BO) e exames de corpo e delito no Instituto Médico Legal de Curitiba (IML). Em entrevista à Banda B, na manhã desta segunda-feira (30), ele explicou em detalhes sobre o que lembra da abordagem.

“Estava no aniversário da minha sobrinha-irmã, me preparando para ir embora, quando um cara segurou a minha namorada pelos dois braços. Eu vi isso, fiquei revoltado e segurei o rapaz. Ele me deu um soco e eu quis partir para cima dele, mas a partir daí os seguranças me agarram pelo pescoço. Eu acabei desmaiando e fui espancado pelos seguranças, que eram mais ou menos cinco ou seis. Eu desmaiava e acordava, levando porrada na cabeça”, descreveu.

Segundo Willian, foi uma luta para sair da sala em que as agressões aconteciam. “Muita gente ouviu os gritos de eu apanhando e inclusive temos áudios disso. Minha sobrinha-irmã tentou ir até a sala em que eu estava, porém foi impedida. Só lembro que consegui sair pela garagem e fui até o Hospital Cajuru, com vários hematomas, recebendo alta apenas no fim da manhã”, destacou.

O jovem, que é funcionário do setor administrativo de um restaurante, afirmou ainda que pode ter sido vítima de uma ação preconceituosa por parte dos seguranças. “Eu não sou um frequentador da casa. Eu curto rap e estava pelo aniversário da minha sobrinha-irmã. Eles tiraram um juízo de valor da situação, quando me viram indo para cima do cara, sem entender o que aconteceu. Me julgaram porque eu estava com roupas largas e o outro rapaz com de marcas”, lamentou.

Willian foi à casa noturna comemorar o aniversário da sobrinha-irmã

“Não vai ficar assim”

Willian estava no aniversário de Rebeca Marquesini, que testemunhou o caso. Segundo ela, os seguranças achavam que estavam mexendo com ‘um ninguém’. “Tive que fazer escândalo para que eu pudesse ver o meu sobrinho-irmão, porque fui impedida de entrar na sala. Acharam que ia ficar por isso, mas o Willian tem amigos, família e não vamos deixar isso quieto. Ele foi humilhado”, desabafou.

Rebeca disse também que Willian pode ter reagido ao se revoltar com a ação do outro cliente, porém, para ela, nada justifica a forma que os seguranças agiram. “Espancaram ele. Bateram enquanto estava desacordado. Isso não existe. Sou uma frequentadora da casa, fechei um camarote para a minha festa e acontece isso. Sei que ele pode ter reagido, ido para cima, mas nada justifica essa covardia”, concluiu.

A investigação do caso agora fica a cargo da Polícia Civil.

Outro lado

A Banda B entrou em contato com a assessoria de imprensa da Wood’s. Por nota enviada ao Portal, a empresa garante que o jovem não foi agredido pela equipe de segurança. Pelo contrário, os seguranças que teriam sido agredidos. A Wood’s nega ainda que tenha mantido o jovem em cárcere privado e informa que imagens desmentem esta versão porque mostram, sem cortes, que a equipe passou o tempo todo tentando acalmar o cliente. A empresa diz que as imagens estão à disposição da imprensa, desde que a equipe vá até o local captar o material. A assessoria informou também que as imagens estão sendo encaminhadas à Delegacia do 9º Distrito Policial de Curitiba para as apurações.

Leia a nota na íntegra:

Nota oficial – Wood’s Curitiba

Na madrugada do último domingo, dia 29 de janeiro, a ação de um jovem no Wood´s Curitiba ganhou grandes proporções nas redes sociais após a divulgação, por meio de seus familiares, de uma suposta agressão realizado pelos seguranças da casa de shows. De acordo com as imagens feitas pelas câmeras de vigilância do empreendimento, presentes em todos os ambientes, fica claro que o jovem não foi agredido pela equipe de segurança do Wood´s.

Por volta das 03h24, as imagens mostram o jovem agredindo um cliente da casa. Na sequência, ele empurra sua namorada. Após as seguintes agressões, os seguranças aparecem para intervir e também são agredidos. Neste momento, a equipe começa o procedimento de retirada.

Na “denúncia” divulgada por sua família, o jovem teria dito que foi mantido em cárcere privado, em uma “salinha” da segurança. Acusação desmentida pelas imagens. As gravações, que mostram o caso do início ao fim, duram pouco mais de 10 minutos (das 3h24 às 3h37), e não tiveram cortes. A equipe passou o tempo todo tentando acalmar o jovem, que permaneceu a maior parte do tempo em um dos principais corredores de acesso do Wood´s, que possui três câmeras de segurança.

O Wood’s já se colocou à disposição das autoridades para prestar assistência referente ao caso, e repudia qualquer ato de violência. Além disso, o empreendimento já está tomando as medidas judiciais cabíveis contra as acusações. As imagens das câmeras de segurança estão à disposição de todos. Para aqueles que não se deixam iludir por qualquer boato e que conhecem o histórico de sucesso do Wood´s em todo o país, a direção reafirma que sempre vai prezar pela verdade e, principalmente, pela segurança de seus clientes e funcionários.”, diz a nota.

A Banda B informa que tentará, na parte da tarde, captar essas imagens disponibilizadas pela Wood’s.