Ministério da insegurança

Falando de segurança

Cel. Jorge Costa Filho

 

 

Toda vez que uma notícia de grande repercussão na área da segurança toma conta dos noticiários, ao invés de vermos atitudes de nossos representantes legais visando propiciar uma solução para os problemas e uma melhora na qualidade de vida para a população, a única preocupação que vemos por parte dos políticos é querer ocupar espaço na mídia para tentar aproveitar um momento de desgraça para se projetar perante seus eleitores.

Foi o que vimos com relação a chacina no presídio no Amazonas, onde por acharem que o Ministro da Justiça estava aparecendo demais, alguns políticos vieram com a proposta da criação de mais um ministério, o MINISTÉRIO DA SEGURANÇA, o que ninguém deve ter contado para eles é que dentro do Ministério da Justiça já existe uma pasta que cuida da Segurança Pública dos Estados.

Se ao invés de pensarem em criar novos cargos e gerarem mais despesas usassem os seus cargos para atualizarem a nossa legislação penal e torná-la mais eficiente e eficaz.

Da mesma forma percebemos que se há muitas pessoas presas sem o devido processo legal devidamente conduzido, também nossos políticos deveriam cobrar do poder judiciário e de nossos promotores mais empenho na condução desses processos.

Mas num país onde os que cuidam dos processos daqueles que cometem crimes e daqueles que deveriam responder à justiça pelos seus crimes ou delitos, tem dois meses de férias, e trabalham poucas horas semanais, dificilmente iremos mudar essa situação caótica que é a nossa segurança.

Se pararmos de cobrar apenas da polícia, mas cobrarmos de todos que tem a sua parcela de responsabilidade, para que todos possamos ter uma vida mais tranquila e com mais segurança, com certeza poderíamos ter um pouco de esperança, mas até mudarmos isso, o que iremos continuar a ver é o aumento da violência e a impunidade dos que a cometem.

E nunca esqueçam, prevenir é sempre o melhor remédio, e para ver outras matérias, acesse www.coronelcosta.com.br

 

 

Notícias recentes

Os comentários estão fechados.