E a “festa” continua…

Falando de Segurança

Por Cel. Jorge Costa Filho

 

Caixa eletrônico explodido pela Gangue da Dinamite na Rua da Cidadania do Sítio Cercado em janeiro de 2017 (Foto: Djalma Malaquias – Banda B)

Começamos 2017, ano novo, mas as notícias são as mesmas, assaltos e explosões em Caixas Eletrônicos, e a tendência é esses assaltos continuarem, pois apesar do esforço da polícia, tanto da Polícia Militar como da Polícia Civil, o resultado final é muito pouco e quase imperceptível.

A única mudança que a população percebe é que está cada dia mais difícil achar um Caixa Eletrônico para sacar dinheiro ou até mesmo pagar uma conta.

Nos mercados então é raro achar um que ainda corra o risco de ter um caixa em seu estabelecimento, pois o medo de uma explosão os fez praticamente extinguir esse tipo de benefício que ofereciam aos seus clientes.

Postos de gasolina que sempre tinham um caixa para atender os clientes também “sumiram” com os mesmos, mas mesmo assim, ainda continuam vítimas dos criminosos e da mesma forma, após as 22:00h também ficou complicado para abastecer os veículos visto que a maioria fecha por medo dos constantes assaltos.

Farmácias que sempre ficavam abertas dia e noite, nã ficam mais e agora quem precisa comprar um remédio após as 22:00h tem que fazer uma verdadeira “via crucis” para achar uma aberta.

Infelizmente estamos regredindo no que até a pouco tempo era considerado uma coisa comum, que eram as facilidades e comodidades que o cidadão tinha durante as 24 horas do dia, e estamos cada vez mais trancados em casa, reféns do medo e da violência.

A polícia quando prende uma quadrilha que assalta e explode Caixas Eletrônicos dificilmente a justiça os mantém presos por muito tempo e logo estão soltos para praticarem outros assaltos.

Nossa legislação só tem ”mão de ferro” quando é para cobrar e punir o cidadão de bem, que trabalha e tem endereço fixo, pois o marginal que ninguém sabe onde ele mora, ao ser solto, some no mundo e ninguém mais o acha e seus crimes acabam ficando só nos registros policiais.

E o crime organizado está cada dia mais organizado, tanto é que vemos a falência do Estado ao presenciar, através de reportagens, a construção de uma cerca dividindo um presidio no Rio Grande Estado para permitir que essas facções controlem cada um o seu “território”. Uma vergonha isso.

E nunca esqueçam, prevenir é sempre o melhor remédio, e para ver outras matérias acesse www.coronelcosta.com.br

 







Notícias recentes

Os comentários estão fechados.