Desde o início de 2011, até ontem, 12 de setembro apoiei cegamente o trabalho da atual diretoria paranista. Acreditava que a união entre torcida, diretoria, jogadores e comissão técnica, o acesso no final do ano seria bem mais fácil.

Na primeira coluna mais crítica que fiz, falando exclusivamente de futebol, onde critiquei uma declaração infeliz do Vice-Presidente de Futebol, Paulo Cesar Silva, fui duramente acusado, de coisas que jamais cometeria, por ele, no microfone da Rádio Banda B, após a vergonhosa derrota para o Salgueiro.

Minha índole não me permite fazer ameaças.

Minha índole, a Nação Paranista conhece pelos mais de seis anos que estou na mídia.

Minha índole não tem preço!

Sou fisioterapeuta e jornalista formado. Não vivo do Paraná Clube, como disse o Paulão.

Vivo sim pelo Paraná Clube, que é uma paixão que já está plantada para sempre no meu coração eda minha família, visto que meu filho de 5 anos já é paranista e será assim para sempre.

Poderia escrever mais mil coisas para polemizar ainda mais, mas prefiro pensar na instituição Paraná Clube, que é infinitamente maior que Sergio Bello ou Paulo Cesar Silva!