Paulo Autuori criticou a falta de cartões para os jogadores chilenos. (Divulgação/Atlético)

O gosto de fazer dois a zero e tomar o empate nos últimos cinco minutos obviamente é amargo. Mas é preciso ser justo com que vimos no todo.

O ATLÉTICO fez sua melhor partida na temporada. Começou em cima, fez um gol numa jogada bem trabalhada com o volante vindo de trás e finalizando, jogou com autoridade todo o primeiro tempo, fez jogadas de efeito, tabelas, jogadas pelos lados, no segundo tempo tentou ser seguro, dando a posse ao Católica mas saindo no contra ataque pra matar o jogo e pelo que seria natural fez aos 29 minutos do segundo tempo 2 a 0, e um golaço, jogada trabalhada de pé em pé, toque refinado de Rosseto e finalização fenomenal de Nikão. Dois gols trabalhados, sem precisar da bola parada, um ATLÉTICO que nos passava confiança.

Aí Autuori reforçou a defesa pra segurar o que parecia já definido. Errou? Eu vejo que sim, por que o Católica era diferente do Capiatá, mas em hipótese nenhuma foi essa a razão do empate. Não coloco na conta do Autuori. Coloco na conta da fatalidade, mas fatalidade essa que os jogadores deram chance pra acontecer. Me desculpem, mas após 40 do segundo tempo o treinador pode fazer a mudança que fizer, quem decide são os jogadores, essas horas é de responsabilidade deles, é com eles, e tomar dois gols em casa e jogar fora o bom jogo que tinham feito é responsabilidade de quem estava em campo.

Mais um aprendizado. E o que fica também é que o time mostrou bola, futebol pra vencer o bi campeão chileno com facilidade e isso é bom.

São mais cinco jogos até o final da fase e muita coisa vai acontecer, se fosse um jogo só, seria como se estivéssemos com quinze minutos de partida e nada que aconteça em 15 minutos define um jogo por mais trágico ou gigante que seja a fatalidade, então cabeça erguida e confiança pra acreditar que esse time pode vencer fora. Quando o time fizer por merecer a fatalidade jogará à favor.

Vejo o desempenho do time ontem como de maior significado que a fatalidade da desatenção nos últimos cinco minutos.

E outra, falaram que decidir contra o Corinthians fora, já era a classificação ano passado, e ela veio, esse ano 1 a 0 contra o Millonários, já era na Colombia, e o ATLÉTICO passou, 3 a 3 em casa tomando gol no último minuto, agora já era de vez contra o Capiatá, e o ATLÉTICO passou, agora tomar o empate no final em casa dizem que decretou a eliminação, outra vez a mesma conversa.

Os mesmos que estão pegando no pé do Autuori por “comemorar” antes do final uma vitória são os que repetem o mesmo erro desde o ano passado quando o assunto é ATLÉTICO, “comemorando” eliminação atleticana precocemente e, não falo de torcedores de clubes que naturalmente secam, digo de gente da imprensa.

Todos erramos, portanto burro não é aquele que erra e sim quem comete com frequência os mesmos erros.

Os secadores parece que realmente não aprendem!

SAUDAÇÕES RUBRO-NEGRAS!

BINHO ASSUNÇÃO!