Foi uma classificação que fortalece, une e encorpa o grupo. Foi com dificuldades, apenas os leigos poderiam esperar algo diferente, mas foi como tinha que ser. Emocionante e com final feliz.

Foi um jogo onde os experientes fizeram a diferença.E o ATLÉTICO os trouxe pra isso, para esses momentos em especial.

Weverton merece um capítulo só seu. Vive um momento mágico e merecedor. Não era forte na saída do gol, não pegava pênaltis com frequência, pelo contrário, lembro-me de uma eliminatória contra o Tupi na Baixada que sequer pulou em nenhuma das bolas, era muito badalado sem nada ter conquistado, pois era simpático e muito querido com os fãs e por esse contexto muito cobrado também. Mas Weverton se preparou, treinou seus pontos fracos, especializou-se em pegar pênaltis como ninguém, se dedicou, tomou pra si a responsabilidade de liderar que antes não o tinha diante do quanto era grande seu cartaz, e se transformou num ídolo de verdade, por fatos e por méritos. Hoje Weverton tem sido um monstro em defesa da nossa camisa e feito jus a idolatria. As criticas de outrora o deixaram cascudo. Merece inclusive, ser titular da seleção brasileira.

Os outros cascudos do time foram impecáveis nos pênaltis em Bogotá. Jonathan, Grafite, Carlos Alberto e Gedoz foram cirúrgicos.

Outro capítulo à parte pra Carlos Alberto. Jogou muito, soube reter a bola, cadenciar o jogo, foi decisivo.

E entre os meninos Vandersom arrebentou, até nem lembramos do Thiago Heleno durante o jogo.

Pra terminar, é óbvio que o time tem que subir de produção, atacar mais, ajustar algumas peças, mas estamos no inicio da temporada e veremos um time mais forte e a cada classificação como a de ontem, mais cascudo

Agora é esperar mais emoções pela frente. E cuidar do coração porque Libertadores é de arrebentar com ele.

SAUDAÇÕES RUBRO-NEGRAS!
BINHO ASSUNÇÃO!