download

Buscando mais uma vitória fora de casa o Tricolor foi até Santa Catarina enfrentar o Criciúma, mas o resultado nem de perto foi o que todo mundo esperava, para nossa tristeza. Para iniciar a partida, o técnico Marcelo Martelotte escalou: Wendell, Diego Tavares, Leandro Silva, Alisson e Henrique Gelain, Basso, Jean, Válber e Nadson, além de Robson no ataque.

Logo aos 5’ de jogo o Paraná recuperou a bola no meio de campo e mostrando rapidez Murilo Rangel tocou para Nadson que enfiou rasteiro para Robson que abriu o placar chutando forte pela esquerda!

Aos 12’ o Tricolor com a sorte e inoperância de Diego Giaretta que após cobrança de escanteio da equipe do Criciúma ficou livre na cara do gol, mas mandou a bola na lua.

Assim que fez o gol, o Paraná recuou demais, deixando a equipe Catarinense chegar algumas vezes com muito perigo na área do goleiro Wendell.

Recuado, o Paraná contava com o erro do adversário para chegar ao ataque. Aos 46’ chegou com Nadson pela esquerda, mas o jogador chutou, fraco, fraco, fraco e o goleiro adversário conseguiu segurar a pelota.

Para o início do segundo tempo, Martelotte manteve o time, enquanto do outro lado Roberto Cavalo colocou mais um atacante no time, atuando com 4 na posição.

Mais uma vez no 5º minuto de jogo Robson ficou cara a cara com o goleiro, mas tentou colocar no canto direito do gol e ela passou rente à trave, saindo pela linha de fundo.

E novamente ele, que vestia a camisa 9, Robson ficou na cara do goleiro, o mesmo deu rebote e o artilheiro Tricolor não desperdiçou e mandou a bola para o fundo do gol, marcando o 2º .

Aos 32’ após escanteio dos caras, Gustavo subiu sozinho e marcou o gol do Criciúma. Após o gol do adversário, Marcelo Martelotte tirou Nadson e colocou Henrique.

Após o gol, o Criciúma veio com tudo pra cima do Tricolor e aos 45’, novamente com Gustavo conseguiu o empate e aos 47’ de FORMA INACREDITÁVEL o Criciúma marca novamente com Ricardinho, virando o jogo.

O que esperar desse time?

O torcedor tenta a qualquer custo acreditar que é possível subir, mas mais uma vez o filme se repete. Partidas de anos anteriores voltam à cabeça daqueles que está há 9 anos estão acompanhando essa tristeza que é jogar a série B, não é possível acreditar que um time que abre o placar de 2×0 não consegue segurar e toma 3 gols em menos de 15 minutos de jogo.

Time que quer subir precisa acreditar e principalmente lutar até o fim, correr atrás, marcar de forma agressiva o adversário e segurar o resultado, não recuando o time e deixando que o adversário venha com tudo pra cima, criando uma jogada em cima de outra e sufocando o Paraná.

É preciso postura aguerrida desse time, é preciso sangue nos olhos do 1º ao último minuto, é preciso que o jogador em campo vista a camisa como qualquer torcedor, se pudesse estar em campo, faria. São 3 jogos sem vitórias, fomos ultrapassados pelo Criciúma e na próxima rodada enfrentaremos o time do Ceará em casa, onde não temos feito o nosso melhor. E aí, time, podemos acreditar em vocês? Nós estaremos lá, cantando e apoiando, mas queremos que os jogadores façam o seu melhor e consigam a vitória a qualquer custo. Chega de empates, chega de derrotas “inexplicáveis”.

Aos guerreiros que foram até Criciúma torcer pelo Paraná, que voltem bem e de cabeça erguida, vocês honraram o nosso manto.

Saudações Paranistas.

Anna Stubert

Sugestões/reclamações/elogios: @annastubert

SABOR-3